Cuiabá, 28 de Maio de 2024

VOLTA AO MUNDO Quarta-feira, 20 de Setembro de 2017, 17:56 - A | A

20 de Setembro de 2017, 17h:56 - A | A

VOLTA AO MUNDO / MUNDO

Na ONU, premiê do Japão diz que tempo de diálogo com a Coreia do Norte acabou

Por Agência EFE



(Foto: Reprodução internet)

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe,

 

 

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, pediu nesta quarta-feira, em discurso na Assembleia-Geral da ONU, mais ação e pressão sobre a Coreia do Norte para que o regime de Kim Jong-un encerre seu programa no nuclear, mas alertou que o tempo de diálogo com Pyongyang acabou.

 

"O que faz falta não é o diálogo, mas sim a pressão. Apoiamos de maneira consistente a postura dos Estados Unidos. Todas as opções estão sobre a mesa. Não há mais tempo", alertou Abe.

 

O primeiro-ministro japonês denunciou a "gravidade sem precedentes" das ameaças feitas pelo regime norte-coreano, que realizou nos últimos meses vários testes nucleares e de lançamentos de mísseis. Para Abe, agir sobre o tema é uma "questão de urgência".

 

Abe destacou que não foi a ausência de diálogo com Pyongyang que levou a essa situação. Na avaliação do primeiro-ministro, a Coreia do Norte nunca teve intenção de abandonar suas ambições nucleares, uma postura que ficou evidenciada após as ações mais recentes.

 

O último míssil lançado pela Coreia do Norte sobrevoou o território do Japão. Após essa provocação, o Conselho de Segurança da ONU impôs, de maneira unânime, uma série de firmes sanções contra o regime de Kim Jong-un.

 

O primeiro-ministro indicou que essa resolução é "apenas o princípio" e pediu união à comunidade internacional para que a Coreia do Norte mude de atitude.

 

A tensão pelos testes da Coreia do Norte é um dos temas prioritários da Assembleia-Geral da ONU. Ontem, o presidente dos EUA, Donald Trump, ameaçou "destruir" o país se isso for necessário para defender o território americano e de seus aliados.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia