Cuiabá, 19 de Maio de 2024

POLÍTICA Quinta-feira, 09 de Março de 2017, 09:18 - A | A

09 de Março de 2017, 09h:18 - A | A

POLÍTICA / NO STJ

Futuro da Sodoma deve ser decidido nesta quinta; defesa alega erro em interrogatório

Por Suelen Alencar / Única News



(Foto:STJ)

phpThumb_generated_thumbnail.jpg

Ministro Rogério Schietti deve apresentar hoje (9), seu voto-vista.

O julgamento do habeas corpus impetrado pelo ex-governador Silval Barbosa (PMDB) para anular os processos relacionados à Operação Sodoma deve ser avaliado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) nesta quinta-feira (9). A operação investiga suposto esquema de cobrança de propina em troca de incentivos fiscais, durante seu governo, entre os anos 2011 e 2014.

 

O ministro Antônio Saldanha Palheiro  relator do processo se depara com um empate de 1 a 1, até agora, já que  na votação votação da Sexta Turma, no último dia 14 de fevereiro, o ministro Sebastião Reis Junior acatou o pedido da defesa do ex-governador, enquanto o relator votou contra a suspeição da juíza Selma Rosane Santos Arruda, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá. O julgamento só foi adiando por conta do pedido de vista do ministro Rogério Schietti. Nessa nova sessãio, além dos citados, o ministro Nefi Cordeiro também decide sobre a continuidade ou não da Sodoma. Já ministra Maria Tereza de Assis Moura não participa do julgamento por não estar presente na primeira sessão de análise do pedido.

 

A banca de defesa composta pelos advogados Válber Melo e Ulisses Rabaneda consideram que Selma Arruda errou ao interrogar os empresários João Batista Rosa, Filinto Müller e Frederico Müller, delatores da operação, sem a presença dos advogados dos réus". Outro ponto é a forma como foram colhidos, questionam o fato de serem feitos antes do recebimento da denúncia e de decisões importantes da ação, como  por exemplo, a decretação de prisão de Silval e dos ex-secretários Pedro Nadaf (Casa Civil) e Marcel de Cursi (Fazenda), o que seria ilegal - a pontado pela defesa.

 

Se anular

 

O trabalho de uma investigação por mais de dois anos e que chegou recentemente a sua quinta fase, podem cair por 'água a baixo'. Isso caso o Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidir anular todo processo da Operação Sodoma.

 

Essa decisão coloca em jogo todo o dinheiro e bens apreendidos, como também a soltura de todos os envolvidos, a exemplo do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), apontado como líder de uma organização criminosa.

 

A juíza da 7ª Vara Criminal, Selma Arruda disse que se o STJ julgar favorável o HC da Sodoma, todo o trabalho da investigação e os decretos serão anulados.

 

“A anulação da Sodoma se for efetivada, vai fazer com que o processo comece desde o princípio. A decisão atingirá todos os atos desde a investigação criminal até agora. O que significa que todas as prisões serão relaxadas e significa que todas as colaborações premiadas que vieram depois dessas prisões vão ser desconsiderados e consequentemente todas a devoluções de dinheiro e apreensões de bens  a partir daquela colaboração também serão anuladas e portanto vai ser restituído para as pessoas  de quem foi objeto”, afirma.

 

 

 Leia sobre

Se anular Sodoma, bens bloqueados serão devolvidos aos ligados da operação

 

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia