Cuiabá, 24 de Outubro de 2020

POLÍTICA MT
Sexta-feira, 25 de Setembro de 2020, 18h:14

ELEIÇÕES EM CUIABÁ

Grando diz que não vai iludir a população com "50 tons de baunilha e morango"

Claryssa Amorim
Única News

(Foto: reprodução/assessoria)

O candidato à Prefeitura de Cuiabá, Paulo Henrique Grando (Novo), disse que não é o perfil de seu partido usar ataques pessoais durante a campanha para conseguir votos, pois seu foco é discutir “propostas” e nunca “pessoas”. Para ele, o que mais será visto nessa campanha é “50 tons de baunilha ou morango”.

Segundo ele, o partido Novo tem uma visão “cética” e não vai iludir as pessoas dizendo só coisas boas, sendo que depois não poderá cumprir.

“Nessa campanha, o que mais vamos ver é ‘50 tons de baunilha ou morango’, dizendo que pode melhorar a sua vida. Mas a gente vai mostrar que não vamos mandar na vida do cidadão e sim mostrar que queremos prestar os serviços essenciais de que a população precisa.”

O partido optou por chapa própria e escolheu como vice para a disputa o milionário Alvani Laurindo. Grando já foi candidato a deputado federal, em 2018, mas não alcançou o número necessário de votos.

Ao ser questionado sobre o foco da sua campanha e como pretende conquistar os votos dos cuiabanos, o candidato afirmou que vai focar em propostas e não nos ataques pessoais contra os adversários. No entanto, caso em algum momento específico precisar comentar alguma atitude de outro candidato, não deixará de criticar e usar em sua campanha como ponto positivo, mostrando o contrário do que pode ser feito.

“O padrão de campanha do Novo é sempre propositivo. Nossa proposta é apresentar nossas ideias e mostrar o que pensamos. Mas ocasionalmente, algumas críticas têm que ser colocadas. Às vezes, pontual, ou seja, de olhar a proposta, ver que ela tem problemas e precisa ser destacada a sociedade, mas mostrando a solução para aquilo. Nossa prioridade é discutir propostas e nunca discutir pessoas”, disse.

Ele aproveitou o assunto e comentou que a campanha este ano está sendo diferente e que a principal ferramenta será as redes sociais, já que em período de pandemia, não é possível realizar comícios e passeatas. Porém, segundo ele, o partido não deixará de ter uma campanha “corpo a corpo”, mas com todos os cuidados exigidos pela saúde para evitar a contaminação da Covid-19.

Segundo Paulo Grando, o principal objetivo é mostrar à população os princípios e valores que a sigla defende. Ele reconhece que o maior desafio da dupla que está concorrendo ao Palácio Alencastro é alcançar cada vez mais pessoas, por não serem muito “populares”.

Por fim, sobre o seu plano de Governo, o candidato disse que o foco é “devolver o poder ao cidadão”. Para ele, a Prefeitura, ao longo dos anos, tem tentado assumir o controle da vida do cidadão, impondo regulações, exigências e proibições que “não fazem sentido”.

Para ele, a Prefeitura deve focar em fornecer apenas os serviços essenciais para a sociedade: saúde, educação e saneamento.

“O meu foco não é mandar na vida do cidadão. A prefeitura tem que parar de complicar a vida da população e focar nos serviços que são de sua responsabilidade. Nós queremos trazer o cidadão para o centro e atendê-los no que for preciso”, disse.

Paulo Grando, o cabeça da chapa com o milionário Alvani, foi homologado pelo partido e o primeiro a se registrar junto à Justiça Eleitoral. Ele declarou bens no valor de R$ 571.672 mil. Já Alvani, declarou patrimônio no valor de R$ 55.143.758 milhões.

A sigla tem uma regra de não utilizar dinheiro do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC) e, com isso, os candidatos terão que usar recurso próprio para a campanha. Grando está tentando arrecadar cerca de R$ 10 mil, com vaquinha online, para pagar as despesas.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


MATÉRIA(S) RELACIONADA(S)




VÍDEO PUBLICIDADE