Cuiabá, 19 de Junho de 2024

POLÍTICA Terça-feira, 26 de Dezembro de 2023, 09:27 - A | A

26 de Dezembro de 2023, 09h:27 - A | A

POLÍTICA / FERROVIA DE MT

Pátio critica Rumo Logística e aponta risco de vida em mudança nos trilhos

Justiça revogou no dia 15 deste mês decisão administrativa que impedia empresa de construir novo traçado em área residencial.

Ari Miranda
Única News



Marcus Mesquita

ZÉ DO PÁTIO (1).jpg

O prefeito de Rondonópolis, José Carlos do Pátio.

O prefeito de Rondonópolis (218 Km de Cuiabá), José Carlos do Pátio (PSB), voltou a criticar a Rumo Logística, empresa responsável pela construção da Ferrovia Estadual Senador Vicente Vuolo, por alterar o traçado original da obra para passar os trilhos dentro da área urbana do município.

No mês passado, Zé do Pátio havia embargado a obra, após a Rumo apresentar um novo trajeto, totalmente diferente do que foi inicialmente apresentado, mostrando que a ferrovia passaria dentro do Bairro Maria Amália.

Por considerar a mudança como perigosa, o prefeito suspendeu a outorga, pois a obra representaria sério risco aos moradores, como de descarrilamento e problemas com vagões, como explosões, uma vez que a Rumo também utiliza o modal para o transporte de combustíveis em vagões tanque.

Porém, no dia 15 deste mês, o juiz Aroldo José Zonta suspendeu a decisão administrativa do gestor, permitindo a retomada da construção da ferrovia com o traçado alterado.

“Não tem sentido mudar o traçado da rodovia para prejudicar uma cidade, por isso embargamos. Ela deveria fazer o acompanhamento do Anel Viário por fora da cidade e não entrar na cidade e ficar a 30 metros de um bairro humilde. E o risco das crianças? Isso não tem sentido”, afirmou Zé do Pátio.

Nas últimas semanas, a Rumo vem recebendo uma série de críticas, inclusive de deputados estaduais, justamente por desrespeitar o projeto feito junto com o Governo do Estado.

Na semana passada, os deputados Thiago Silva (MDB) e Cláudio Ferreira (PL), parlamentares da bancada de Rondonópolis, se reuniram com a secretária de Estado de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti, para tentar suspender a autorização que permite a mudança do traçado pela Rumo Logística.

Para Pátio, além do risco e preocupação dos moradores do Bairro Maria Amália, a mudança dos trilhos também será prejudicial, pois trará prejuízo econômico ao Estado.

“Ela economiza em dinheiro, mas não economiza em tempo. No Estado de São Paulo, a ferrovia roda a 30km/h porque passa dentro da cidade. Então, por que não sair fora da cidade? Você gostaria que uma ferrovia cortasse Cuiabá?” questionou.

“Tem que respeitar o plano diretor do município e o nosso diz que não pode passar nada dentro da cidade. Somos favoráveis a ferrovia continuar, mas naquele ponto nós embargamos a obra”, concluiu.

A OBRA

O primeiro viaduto, por onde passarão os trens, foi concluído recentemente em Rondonópolis.

Conforme o cronograma, até o final do ano de 2025, o trecho da Ferrovia Estadual Senador Vicente Vuolo entre Rondonópolis e Campo Verde deverá estar concluído. De lá, os trilhos deverão seguir até a capital, Cuiabá, com um total de 210 km de trilhos.

No total, a ferrovia que irá ligar Rondonópolis a capital e as cidades de Nova Mutum e Lucas do Rio Verde, a 242 e 332 Km de Cuiabá, respectivamente, terá 743 km de extensão e 48 obras de artes especiais. Além disso, estão previstos 215 milhões de m³ de movimentação de terras, 1,4 milhão m³ de concreto, com previsão de término das obras em 2030.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia