Cuiabá, 19 de Maio de 2024

CIDADES Quinta-feira, 20 de Julho de 2017, 10:21 - A | A

20 de Julho de 2017, 10h:21 - A | A

CIDADES / PROMESSA NÃO CUMPRIDA

Garis cruzam os braços por direitos trabalhistas, prefeitura busca fim de impasse

Da Redação



(Foto: Secom/Prefeitura)

coleta de lixo.jpg

 

A Prefeitura de Cuiabá está intercedendo, como forma de colocar fim ao impasse, no protesto de um grupo de garis que cruzarem os braços nesta quinta-feira (20), na capital, como forma de pressionar a empresa Ecopav a pagar de imediato, parcela dos seus direitos trabalhistas. A Ecopav era a empresa anteriormente responsável pela coleta de lixo em Cuiabá, mas que teve seu contrato rescindido

 

A prefeitura quer reverter a ação destes garis que estão obstruindo o trabalho da nova empresa, a Locar, contratada para operar o serviço de coleta, no lugar da Ecopav. Em nota à imprensa, a prefeitura lembra que foram quitados os salários de junho e oito dias trabalhados em julho, além de 30% dos direitos trabalhistas. 

 

E que existem bens da Ecopav dados em garantia, junto aos órgãos de controle, que asseguram o pagamento. Também a empresa informa que está providenciando os recursos para honrar os débitos trabalhistas. 

 

A prefeitura interveio junto às partes para evitar que a obstrução das atividades do serviço essencial cause transtornos e prejuízos para a população.

 

Nesta quinta, alguns garis, atualmente funcionários da Locar, junto com os demitidos da contratada anterior a Ecopav, fizeram um protesto em frente à empresa. Eles querem que todos os 280 funcionários que eram da Ecopav sejam incorporados pela Locar e não apenas 45. Algumas viaturas da Polícia Militar acompanham a movimentação da categoria.

 

A Ecopav atendeu o setor até 7 de julho deste ano, após a Prefeitura romper contrato, sob a alegação de descumprimento de regras, como acúmulo de lixo na porta das residências, por exemplo. Na transição - entre Ecopav e Locar -, feita ao Sindicato da Limpeza Urbana de Mato Grosso (Sindilimp-MT), houve a promessa de que não haveria desligamentos.

 

A assessoria da Locar também emitiram nota, revelando que alguns manifetantes impediram a entrada de quem queria trabalhar, na manhã desta quinta. E  que a empresa só vai liberar a coleta quando houver clima de segurança.

 

Na Prefeitura, a informação é a de que o secretário já está reunido com representantes da Ecopav e da Locar para tratar do assunto e buscar resolver a situação o mais rápido possível e, assim, normalizar os serviços na capital.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia