Cuiabá, 21 de Junho de 2024

POLÍCIA Terça-feira, 09 de Abril de 2024, 11:21 - A | A

09 de Abril de 2024, 11h:21 - A | A

POLÍCIA / CRIME BRUTAL

DHPP conclui inquérito e indicia autor de estupro e assassinato de idosa em Cuiabá

Horaide Stringuini foi estuprada e morta à facadas durante assalto no dia 28 do mês passado, no bairro Despraiado.

Ari Miranda
Única News



A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa de Cuiabá (DHPP) encaminhou, no último sábado (6), ao Ministério Público de Mato Grosso (MPMT), o inquérito que investigou o estupro seguido de feminicídio da idosa Horaide Bueno Stringuini (84), ocorrido no dia 28 de março deste ano, no bairro Despraiado, em Cuiabá.

O inquérito, conduzido pelo delegado Nilson Farias, foi concluído com o indiciamento do autor do crime, Adriano João Batista de Souza (34), pelos crimes de homicídio duplamente qualificado e estupro de vulnerável.

De acordo com o delegado, o homicídio foi qualificado por recurso que impossibilitou a defesa da vítima e feminicídio, além do estupro, comprovado em laudo pericial da Politec-MT, que confirmou que a idosa foi abusada sexualmente pelo assassino.

Além disso, em relação ao roubo cometido pelo criminoso à idosa no dia dos fatos, a Divisão de Homicídios da capital segue com as investigações, para apurar mais elementos da autoria.

VÍTIMA RECONHECEU CRIMINOSO

Em depoimento ao delegado Nilson Farias, o criminoso deu detalhes de como estuprou e matou a aposentada. Ele foi preso no feriado de Sexta-feira Santa (29/3) e confessou a autoria do feminicídio.

Horaide foi encontrada morta em sua residência com duas facadas no peito. O corpo de da idosa estava sobre a cama, seminu e com sinais de violência sexual. Familiares informaram que a vítima morava sozinha e que o último contato foi feito por um neto, por volta das 7h30 do dia 28 de março, data do crime.

Ao delegado, Adriano, que trabalhava em uma distribuidora de gás ao lado da casa de Horaide, disse que antes de cometer o crime já estava bebendo e consumindo pasta-base de cocaína há dois dias seguidos, destacando que decidiu invadir a casa da idosa para roubar um celular e “fazer um dinheiro” para continuar se drogando.

“Eu estava bebendo lá perto [da casa da vítima], na esquina. Eu ingeri bebida alcoólica e usei droga, aí acabou o dinheiro e eu continuei bebendo. Amanheceu o dia, acabou o dinheiro para usar droga e eu pensei em entrar, pegar o celular, pegar dinheiro”, disse Adriano.

Conforme o assassino, a situação começou a sair do controle no momento em que “Gaúcha”, como Horaide era conhecida pela vizinhança, o reconheceu e começou uma discussão, pedindo para que ele entregasse seu celular e fosse embora dali.

“Pulei lá no quintal [...], aí ela abriu a porta, acho que para sair, e eu entrei. Ela me viu e eu pedi o celular, dinheiro [...], queria algo de valor. Ela disse que não tinha e mandou eu sair de lá”, disse o estuprador.

“Ela me conhecia da distribuidora [de gás]. Todo dia ela me via lá. [...] Eu entrei no quarto para pegar a bolsa e ela me empurrando para eu ir embora e eu a empurrei e ela caiu”, completou.

Segundo o assassino, após a queda, a vítima se levantou e começou a bater nele, na tentativa de pegar seu celular de volta, momento em que ele decidiu estuprá-la. “Não, eu não desejava. Eu tava, sei lá, faz dois dias bebendo”, contou Adriano, que destacou que a idosa não gritou no momento do estupro.

Após ser violentada, conforme o criminoso, Horaide então reagiu, pegou uma faca de cozinha e novamente deu a ordem para que ele fosse embora da casa dela, dando início a uma luta corporal com o bandido. Porém ele reagiu e acabou novamente atacando a idosa, desta vez golpeando-a com a faca, que ele conseguiu tomar de sua mão.

“Eu tomei a faca dela e passei no pescoço dela. Ela veio pra cima de novo, aí dei outro golpe que pegou aqui por cima [no peito]. Aí [ela] ficou na cama e nessa hora eu peguei e fui embora, pulei o muro”, destacou. “Minha intenção foi de roubar o celular de algum valor, dinheiro ou algo assim. Não queria ter matado a ‘Gaúcha’”, pontuou.

Após ser ouvido, Adriano foi encaminhado à Penitenciária Central do Estado (PCE-MT), onde aguarda a decisão da Justiça.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3