Cuiabá, 22 de Junho de 2024

POLÍCIA Sexta-feira, 26 de Abril de 2024, 16:02 - A | A

26 de Abril de 2024, 16h:02 - A | A

POLÍCIA / MIXTO REPUDIOU ATITUDE

Torcedor que xingou árbitro de "macaco" durante partida no Dutrinha é indiciado por racismo e injúria

Suspeito foi identificado pela diretoria do próprio clube, que também o denunciou pelo crime

Ari Miranda
Única News



Marcos Aurélio de Figueiredo, de 61 anos, torcedor que dirigiu xingamentos racistas ao árbitro Pedro Henrique Pio de Jesus, durante partida do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino A2, em Cuiabá, foi indiciado pela Polícia Civil pelos crimes de racismo e injúria, nesta quinta-feira (25), após investigações conduzidas no inquérito policial, instaurado pela Delegacia do Torcedor.

O episódio aconteceu no último domingo (21), durante a partida entre o cuiabano Mixto Esporte Clube e a equipe feminina do Bahia, no Estádio Eurico Gaspar Dutra, o “Dutrinha”, e ganhou repercussão após a divulgação do vídeo, onde o torcedor é filmado na arquibancada proferindo as ofensas ao árbitro da partida.

“Seu macaco! Seu macaco, desgraçado! Seu macaco!”, grita o torcedor.

VEJA VÍDEO NO FINAL DESTA MATÉRIA

Tanto a vítima, quanto a diretoria do Mixto Esporte Clube registraram boletins de ocorrência na Polícia Civil e o torcedor foi identificado pelo próprio Clube de Futebol. Intimado, o suspeito compareceu à delegacia na quarta-feira (25), acompanhado dos filhos negros, e optou por permanecer em silêncio durante seu depoimento.

O suspeito foi indiciado pelo crime de racismo, porém não foi preso por não estar mais em flagrante. No entanto, o pagamento de uma multa pelo ato poderá ser estipulado pela Justiça.

Segundo o delegado Rogério Ferreira, titular da Delegacia do Torcedor, a Polícia Civil de Mato Grosso está atenta a qualquer tipo de situação que possa causar tumulto e brigas, assim como a prática de atos racista em grandes eventos.

"A Polícia Civil repudia todo tipo de ação ou de omissão racista ou discriminatória, assim como outras situações possam provocar tumulto ou incitar a violência dentro do estádio. Todos os fatos serão apurados com rigor", pontuou o delegado.

TORCIDA REPUDIOU CRIME

Em nota aberta, o MixtoNet, portal virtualdo torcedor mixtense, repudiou veementemente o caso de racismo e se solidarizou com o árbitro, avaliando o episódio como inaceitável e incondizente com a história do clube, que já teve em campo grandes jogadores negros, como “Avião”, Leônidas, Glauco, Felizardo e “Pelézinho”.

“O racismo é uma afronta à dignidade humana, uma das ideologias mais nefastas da sociedade e um crime inaceitável. É inconcebível que em pleno século XXI ainda tenhamos que lidar com tamanha barbárie”, diz trecho da nota.

“O Mixto nasceu da miscigenação e da pluralidade, valores que estão na essência do nosso clube. O racismo jamais terá lugar em nossa agremiação. Lutaremos incansavelmente para que tais atos sejam banidos do futebol e de toda a sociedade”, pontuou o portal.

A diretoria do clube também se manifestou, repudiando o episódio.

Veja a nota do Mixto Esporte Clube na íntegra:

O Mixto Esporte Clube lamenta e repudia a injúria racial cometida por um torcedor contra o árbitro Pedro Henrique Pio, durante a partida entre Mixto e Bahia pela Série A2 do Campeonato Brasileiro, neste domingo (21), no estádio Dutrinha.

O clube tomou ciência do caso logo após a partida e está dando todo o suporte ao Pedro Henrique. Realizou juntamente com o árbitro um Boletim de Ocorrência em que relata o caso de injúria em que o torcedor chama o árbitro de ‘’Macaco’’ e se compromete a identificar o torcedor.

O Mixto tem em seu DNA, desde a sua fundação, a miscigenação, o preto e o branco sempre lado a lado. As lutas sociais são bandeiras levantadas pelo clube há 90 anos. O Alvinegro mato-grossense foi idealizado entre homens e mulheres, que sempre tratou todos de forma igual.

Temos em nossa história heróis negros como Leônidas, Glauco, Felizardo, Pelezinho, Almiro, Adavilson, Dito, Sinfrônio, Jaburu, e tantos outros que ajudaram a escrever a linda história do clube.

Temos certeza que a grande torcida do Mixto se associa ao clube nesse combate ao racismo. Defendemos a punição exemplar desse torcedor. Pedro Henrique Pio, esta luta também é nossa e você não está sozinho.

Em uma sociedade racista, não basta não ser racista. É preciso ser antirracista.

 

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3