Cuiabá, 22 de Maio de 2024

POLÍTICA Quinta-feira, 17 de Agosto de 2017, 13:44 - A | A

17 de Agosto de 2017, 13h:44 - A | A

POLÍTICA / IMPOPULARIDADE

Pesquisa revela que prefeito de Lucas do Rio Verde tem gestão considerada ruim ou péssima

Da Redação



(Foto: Reprodução/Web)

luiz_binotti.jpg

 

Em pesquisa de opinião realizada entre os dias 14 e 15 de agosto, pelo Mark Instituto de Pesquisa, em Lucas do Rio Verde ((360 km distante de Cuiabá), foi constatado o baixo índice de confiabilidade do atual prefeito, Luiz Binotti (PSD), junto a população. Já que mais de 50% dos moradores do município avaliaram a gestão do atual gestor social democrata, como ruim ou péssima, conforme pesquisa em 28 bairros do município. Com uma margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos.

 

Quando questionadas sobre de que forma avaliava o mandato do atual prefeito, das 307 pessoas ouvidas, 37,4% disseram ser ruim, enquanto 15,9% afirmaram ser péssima. Outros 33,5% consideraram a gestão boa e como ótima apenas 0,5%. Não souberam ou não responderam 12,7% dos entrevistados.

 

(Foto: Ilustração)

Binotti Mapa-pesquisa.jpg

 

A maioria dos entrevistados tem entre 45 e 59 anos (32%) e o primário completo ou 1º grau incompleto (35,4%). Entre as pessoas ouvidas 50,5% eram mulheres e 49,5% homens. Já em relação à renda dos entrevistados, a maioria ficou na faixa entre dois a quatro salários (72,3%).

 

O prefeito Luiz Binotti (PSD) foi eleito em outubro de 2016, após uma das disputas mais acirradas do estado, derrotando o então prefeito e candidato à reeleição Otaviano Pivetta (PSB). Binotti obteve com 14.408 votos contra os 14.166 de Pivetta, e contou com apoios importantes como do vice-governador de Mato Grosso, Carlos Fávaro (PSD), e do secretário nacional de Política Agrícola, Neri Geller (PP).

 

Entenda Binotti

 

O gestor social democrata tem sido considerado um dos mais polêmicos prefeitos de Mato Grosso, já tendo ganhado a mídia, em todo o Estado e por várias vezes, por suas posições inusitadas como a decisão - ainda no início de sua gestão este ano -, anunciando por meio de nota oficial que seu vice, Sílvio Fávero, em nenhuma hipótese atuaria em sua gestão. À exceção, no caso legal por alguma razão ou em situações inéditas.

 

Em um trecho da nota Binotti assevera que seu vice-prefeito, Sílvio Fávero somente atuaria no âmbito da sua missão legal, de substitui-lo quando fosse convocado. 'Desta forma, Fávero não exercerá nenhum cargo ou função administrativa e nem cumprirá expediente durante a minha gestão', sentenciou o prefeito.

 

Mais tarde voltou a ser alvo de várias matérias em jornais e site em Mato Grosso, mais precisamente no dia 16 de janeiro, quando foi publicado no Diário Oficial, na página 42, decreto de nº 3.376, assinado por Luiz Fiori Binotti aprovando a alteração de uma área com lotes privativos de 63 para 91 lotes e Projetos Complementares do loteamento urbano 'Loteamento Reserva da Mata', de propriedade da empresa Novo Tempo Empreendimentos Imobiliários Ltda, da qual o novo prefeito de Lucas era sócio-proprietário e se afastou para assumir o cargo de prefeito. 

 

Ações que compreendem desde 'terraplanagem, pavimentação asfáltica, drenagem de águas pluviais, rede de abastecimento de água, rede de esgoto sanitário até energia elétrica'. O documento-denúncia foi entregue ao Ministério Público Estadual, sob a argumentação de que Binotti teria mudado o contrato do Loteamento Reserva da Mata, para supostamente ocultar que seria de sua propriedade. 

 

Para revelar claramente a intenção do atual prefeito, Binotti também em visita à a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras, em Cuiabá, solicitou, por meio de ofício 067/2017, o apoio para a viabilização do Termo de Cooperação Técnica para aquisição de ligantes betuminosos, para pavimentar, drenar e realizar obras complementares de um trecho da Avenida Brasil, entre o centro cívico e a BR 163. De novo, exatamente onde fica o Loteamento Reserva da Mata.

 

Mas Binotti não parou por aí, meses mais tarde o prefeito encaminhou para análise da Câmara de Vereadores de Lucas do Rio Verde o Projeto de Lei de n° 57, que cria uma Verba de Natureza Indenizatória que beneficiaria ele [Binotti], procurador, secretários e diretores do SAAE e PrevLucas, com o valor de R$ 6 mil por mês, cerca de R$ 936 mil por ano. Ou seja, uma verba para beneficiar 13 cargos.

 

De acordo com o projeto, a verba indenizatória é para custeará as despesas de transporte e hospedagem do efetivo durante exercício das atividades do cargo e para que assim não sejam empenhada diárias ou adiantamentos.  “…como forma compensatória ao não recebimento de diárias, adiantamentos, passagens e ajuda de transporte, dentre outras despesas inerentes ao exercício dos cargos para custeio das viagens dentro do Estado”, diz a mensagem enviada ao Poder Legislativo. (Com informações da Mark Instituto de Pesquisa)

 

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia