Cuiabá, 13 de Julho de 2024

POLÍTICA Sexta-feira, 05 de Outubro de 2018, 16:19 - A | A

05 de Outubro de 2018, 16h:19 - A | A

POLÍTICA / FORÇANDO UM 2º TURNO

Taques e WF judicializam pleito; Mendes diz que adversários querem confundir eleitor

Marisa Batalha



Foto: (Rodinei Crescêncio)

cANDIDATOS

 

Vídeo que circulou nos grupos de jornalistas no WhastApp - na última quarta-feira (03) -, em que o deputado federal emedebista, Valtenir Pereira, candidado a reeleição na Câmara, aparece supostamente recebendo maços de dinheiro das mãos de Mauro Carvalho, apontado na gravação como coordenador financeiro da campanha de Mauro Mendes e, assim, subliminarmente, reforçando a ideia que o repasse seria um possível 'caixa dois', levaram as coligações "Segue em Frente Mato Grosso” e  “A Força da União”, encabeçadas respectivamente pelo candidato à reeleição, Pedro Taques (PSDB) e Wellington Fagundes, do PR, a pedirem que a Justiça Eleitoral apure a veracidade do vídeo.

 

Mesmo que o deputado em sua página do Facebook - em um novo vídeo divulgado ainda na noite de quarta -, tenha desmentindo que teria recebido dinheiro para ‘pagar a carreata’ via ‘caixa dois' para o candidato que disputa o comando do Palácio Paiaguás, o democrata Mauro Mendes. Nele Valtenir revela que o vídeo fake news viralizado nas redes, teria sido editado de uma gravação feita em 2010, quando presidia o Partido Socialista Brasileiro e estava organizando o movimento Mato Grosso Muito Mais. 

 

"A situação da reunião com o empresário Mauro Carvalho, em uma edição criminosa e mentirosa foi tirada de contexto para atingir a minha imagem e a minha honra”, ainda pontuou.

 

Entretanto, tanto Taques como Fagundes optaram por ignorar a fala do parlamentar.

 

De acordo com o senador republicano, Wellington Fagundes, o conteúdo da gravação exige atenção especial das autoridades para que o processo eleitoral no Estado transcorra de maneira equilibrada e justa.

 

Já na peça assinada pelo advogado José Antônio Rosa, da coligação liderada pelo gestor tucano, Pedro Taques, é solicitado para a procuradora regional eleitoral, Cristina Nascimento de Melo, a apreensão dos computadores dos comitês e escritórios, seja na tentativa de localizar o arquivo original do vídeo, seja para localizar outros possíveis vídeos onde apareçam pessoas ou candidatos recebendo recursos de “caixa dois”, assim como para localizar planilhas ou arquivos do tipo, onde possa se identificar contabilidade paralela de campanha e/ou comprovação de pagamentos via recursos não contabilizados.

 

Após a decisão de Taques e Fagundes de buscarem a Justiça, o deputado federal Valtenir Pereira, igualmente protocolou um pedido de investigação no Ministério Público Federal sobre o vídeo apócrifo que o coloca como alvo e ainda tenta, segundo ele, atingir o candidato ao governo, Mauro Mendes (DEM), que lidera as pesquisas de intenções de votos em Mato Grosso. 

 

No documento ao MPF, Valtenir registrou que Mauro Carvalho - ao contrário do que o vídeo criminosamente acusa - não é nem nunca foi coordenador da campanha de Mauro Mendes. Ainda explica que o coordenador geral da campanha de Mauro Mendes é o senador Cidinho Santos, sendo que o coordenador financeiro é Francisco Serafim de Barros.

 

Em trecho de seu pedido Valtenir pontua que existem evidências claras de teria sido alvo de um fake news "razão pela qual pugno na presente oportunidade pela abertura de inquérito criminal para a apuração do crime tipificado pelo artigo 57-H e parágrafos da Lei 9504/97".

 

Já prevendo a judicialização das eleições, até como forma de forçar um segundo turno para a Governadoria do Estado, o candidato democrata Mauro Mendes, ainda nesta quinta-feira (04), afirmou em vídeo divulgado pela coligação - Pra Mudar MT - que por conta das pesquisas de intenções de votos o colocarem na liderança, com possibilidades de vencer a disputa ainda no primeiro turno das eleições, os adversários estariam realizando uma verdadeira força-tarefa para enfraquecê-lo junto à população mato-grossense, ao 'disseminar mentiras' como forma de confundir os eleitores.

 

Mauro também voltou a alertar os eleitores sobre 'a quadrilha de fake news organizada pelos seus adversários, que tem intensificado as mentiras contra ele nesta reta final das eleições'. "É lamentável que nossos adversários esparramem esse tipo de coisa de forma criminosa, mas o eleitor já está vacinado contra isso", relatou.

 

"Quero alertar o eleitor sobre as fake news que os nossos adversários estão plantando. Nossa campanha é pautada na verdade e a verdade sempre vai vencer a mentira", ainda frisou.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia