Cuiabá, 25 de Maio de 2024

POLÍTICA Sexta-feira, 25 de Agosto de 2017, 16:56 - A | A

25 de Agosto de 2017, 16h:56 - A | A

POLÍTICA / REPERCUSSÃO

Vereadores dividem opinião quanto a inocência de Emanuel Pinheiro

Lara Belizário/ Rayane Alves



(Foto: Reprodução)

Câmara-Cuiaba.jpg

 

Após especulações de que a Câmara de Cuiabá poderia abrir uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar a conduta do prefeito, Emanuel Pinheiro (PMDB), o vereador substituto, Júlio Power (PTdoB), saiu em defesa do gestor municipal, alegando que um vídeo não pode prejudicar com uma carreira política de 28 anos de trabalho sem manchas.

 

Diante do vídeo e suas repercussões, o parlamentar garantiu ao Site Única News, que acredita na inocência do prefeito. E, ainda, acrescentou que continua na base aliada até que se prove o contrário.

 

"Esse fato referido pelo ex-governador Silval Barbosa foi quando ele - Emanuel Pinheiro - era deputado. Então, não é nada que manche sua figura como prefeito de Cuiabá, ele tem realizado um bom trabalho. A prova disso são as avaliações que tem sido feito pelos institutos pesquisas com mais de 83% de aprovação, e vai continuar assim, 'bola para frente', vamos continuar trabalhando", afirmou o vereador.  

 

O vereador ressaltou que até o momento o prefeito foi somente acusado e não condenado. E, ainda, relembrou que como todo cidadão o prefeito tem direito ao contraditório.

 

"O tempo vai mostrar que o prefeito é inocente. Ele vai poder explicar isso durante o processo. É o que acreditamos. Não é um vídeo que vai manchar uma vida de 28 anos na política. Todas essas décadas de bom trabalho e a boa reputação de toda família, não devem ser jogados no lixo e na lama", declarou.

 

Contrário à opinião de Power, o vereador Diego Guimarães afirmou, por meio de sua página no Facebook, que defende a imediata renúncia do prefeito em virtude da acusação de Silval. O parlamentar acredita que o suposto envolvimento de Pinheiro no recebimento de propina compromete seu trabalho na prefeitura.

 

Para ele, as justificativas de Pinheiro para sua imagem no vídeo, não foram satisfatórias. Por isso, defende a renúncia por acreditar que a mesma o possibilitaria de exercer seu direito de defesa sem comprometer a instituição.

 

"As declarações prestadas pelo ex-governador, aliadas à gravação de recebimento de valores em circunstâncias não esclarecidas, comprometem a governabilidade e prejudicam a continuidade dos trabalhos da prefeitura", afirmou.

 

O Jornal Nacional exibiu, na noite desta quinta-feira (24), um vídeo gravado de dentro do escritório do ex-chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa, Sílvio César Araújo. Na ocasião vários políticos entre eles o prefeito da capital, deputado federal Ezequiel Fonseca, e os ex-deputado Alexandre César e Hermínio Jota Barreto recebendo grandes quantias de dinheiro.

 

O vídeo foi entregue como prova da delação premiada do ex-governador. Afinal, ele acusou esses políticos de terem recebido propina por diversas razões.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia