Cuiabá, 10 de Abril de 2020

SAÚDE
Quarta-feira, 25 de Março de 2020, 08h:45

REDE SOLIDÁRIA

Jornalista cria projeto para levar conforto aos idosos durante a pandemia

(Foto : Arquivo pessoal)

Uma parente de 84 anos e um curso foram as inspirações e motivações da jornalista de Florianópolis Juliana Germann para criar uma rede solidária para ajudar idosos. O objetivo é escutá-los, seja por telefone ou chamada de vídeo, e trazer conforto para eles, isolados socialmente por causa da prevenção ao coronavírus. "É muito importante que idosos saibam que não são invisíveis, não estão sozinhos", disse a jornalista.

Nas redes sociais, Juliana começou a divulgar o projeto na terça-feira (24), com um número de telefone. Por ele, os idosos podem fazer contato e marcar um horário para conversar ela ou outros voluntários. O serviço é gratuito. "Vi que muitas pessoas da terceira idade não têm com quem conversar, sentem-se sozinhas. As próprias pessoas da família não têm mais paciência de ouvir as mesmas sagas repetidamente", disse.

Segundo ela, o objetivo do projeto é "poder movimentar as pessoas da terceira idade, falar de coisas que são memórias que para elas são memórias felizes. Não ficar vivendo na dor, vivendo na nostalgia de quem já partiu ou na doença".

Início em novembro

A iniciativa, chamada de "Escutatória de idosos", já foi presencial. Em novembro, Juliana e outras duas pessoas faziam visitas para ouvir as histórias. "Veio o fim do ano, deu aquela parada. Justamente agora em março íamos retomar com tudo", disse.

Com a rápida disseminação do novo coronavírus, além do cancelamento dos atendimentos presenciais, também surgiu outra mudança no projeto: a preocupação com a saúde mental dos idosos. "Agora eles estão se sentido muito frágeis. Tem muita gente que chora, está triste, só fala que vai morrer. Precisa de muito carinho, muito amor para ajudá-los a passar por essa fase", declarou Juliana.

Além dela, havia quatro voluntários no projeto até a tarde de terça. Todos recebem treinamento por vídeo para poderem participar. "Meu sonho é que essa rede se expanda para todos os cantos, que eles [idosos] precisam muito. Se cada pessoa pegasse um idoso simplesmente para ligar e saber como está, faria grande diferença na vida dele", finalizou a jornalista.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE