Cuiabá, 21 de Julho de 2024

BRASIL Quarta-feira, 05 de Junho de 2024, 17:20 - A | A

05 de Junho de 2024, 17h:20 - A | A

BRASIL / EM REDE NACIONAL

Suspeita de matar companheiro com "brigadeirão" tinha outro namorado, que descobriu traição pela TV

Crime aconteceu no RIo de Janeiro. Homem ainda alegou que pretendia noivar com a suspeita.

Júlia da Silva
Portal Léo Dias



Júlia Cathermol, a principal suspeita de matar o namorado Luiz Ormond com um brigadeirão envenenado, tinha outro relacionamento. O outro homem, que é advogado, prestou depoimento à Polícia Civil. Ele descobriu que estava sendo traído após ver uma matéria do jornal sobre o caso.

Segundo o homem, em depoimento dado na tarde de segunda-feira (3/6), ele e Júlia estavam juntos há dois anos e pretendiam noivar. Ele ainda revelou que a namorada justificava as suas ausências com viagens a trabalho sendo que, na versão dela, ela morava com Luiz Ormond. O segundo namorado pediu para manter sua identidade sob sigilo.

A suspeita deu sua versão do crime em depoimento, enquanto a Polícia Civil ainda não considerava a hipótese de homicídio e tratava o caso como morte suspeita. Após o depoimento, foi solicitado mandado de prisão à Justiça. 

Relembre o caso

O empresário carioca Luiz Marcelo foi encontrado morto em seu apartamento no Engenho Novo, no Rio de Janeiro, na semana passada. A principal suspeita do crime é sua namorada: Júlia Cathermol, que, segundo uma linha de investigação da polícia, teria envenenado um “brigadeirão”, com a ajuda de uma cigana, Suyany Breschak.

A criminosa conviveu com o cadáver do namorado durante todo o final de semana para pegar dinheiro e bens dele. Júlia tinha uma dívida de cerca de 600 mil reais com Suyany, por trabalhos e consultas da cigana.

 

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia