Cuiabá, 17 de Junho de 2024

CIDADES Quinta-feira, 25 de Abril de 2024, 19:07 - A | A

25 de Abril de 2024, 19h:07 - A | A

CIDADES / DENTRO DA CRECHE

Politec descarta asfixia e confirma que bebê de 5 meses morreu por traumatismo cranioencefálico

Polícia Civil aponta que a morte do bebê ocorreu de ato no ambiente da creche particular

Euziany Teodoro
Única News



A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa recebeu nesta quinta-feira (25.04) o resultado do laudo de necropsia elaborado pela Perícia Oficial e Identificação Técnica de Mato Grosso que apontou que a morte do bebê de cinco meses, que estava em uma creche particular de Várzea Grande, ocorreu por traumatismo cranioencefálico. 

O delegado Marlon Luz, responsável pelas investigações, avaliou os dados apontados no laudo pericial e requisitou novas informações à perícia oficial a fim de esclarecer outras dúvidas que surgiram no decorrer da apuração. 

O laudo pericial descartou que a criança tenha sofrido asfixia, seja por água, vômito ou alimento. O resultado pericial, a Polícia Civil aponta que a morte do bebê ocorreu de ato no ambiente da creche particular

A equipe de investigação continua com outras diligências a fim de reunir mais elementos informativos ao inquérito policial e que possam trazer esclarecimentos sobre a morte da criança. Familiares da vítima, testemunhas e funcionários da creche estão sendo ouvidos. 

Em razão da sensibilidade da investigação, o delegado só vai se manifestar após as respostas dos quesitos complementares ao laudo pericial e convicção dos fatos.

MORTE DE VICENTE

Vicente Camargo, de apenas 5 meses, morreu na quarta-feira, 174 de abril. O atestado de óbito apontou traumatismo craniano por instrumento contundente como causa da morte, o que acaba de ser confirmado pelo laudo da Politec.

O berçário Espaço Criança Feliz, como o Única News havia divulgado, alegou que o menino teria mamado e colocado para dormir. Eles argumentaram que a morte teria sido causada por vômito, possivelmente por se engasgar após a mamadeira, o que foi descartado pelo laudo pericial.

Karine Camargo, mãe do bebê, teria mandado mensagem via aplicativo para a creche por volta das 14h para perguntar sobre o filho. No entanto, só foi respondida duas horas depois, as 16h, por uma profissional do berçário.

Segundo a cuidadora, durante uma vistoria para troca de fraldas, a funcionária da creche encontrou Vicente inconsciente e com a pele roxa.

Uma equipe da creche teria tentado reanimar o bebê, porém sucesso, momento em que levaram a criança até o Hospital Santa Rita, onde o óbito foi confirmado.

DENÚNCIAS E PROTESTO

Karine, mãe de Vicente, expôs mensagens que recebeu através do Instagram, com dezenas de outras denúncias de maus-tratos contra crianças do mesmo berçário, que funciona ilegalmente e chegou a ser denunciado pelo Ministério Público.

Até mesmo pessoas que moram perto da creche reclamam das condições de tratamento às crianças no local.

"Moro aqui do lado da creche. Uma péssima escolinha, e elas todas [as donas] são ignorantes. Ia por meu filho lá, mas com tantas reclamações, desisti. Péssimas, péssimo ambiente. Espero que feche e ela mude de profissão, está na profissão errada [sic.]”, disse uma mulher, fazendo referência às proprietárias do local.

Na segunda-feira (22), Karine e outras mães se uniram em protesto na frente do berçário e, aos gritos de "assassinas", em referência às donas do local, pediram justiça por Vicente.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia