Cuiabá, 15 de Junho de 2024

JUDICIÁRIO Quinta-feira, 25 de Abril de 2024, 18:10 - A | A

25 de Abril de 2024, 18h:10 - A | A

JUDICIÁRIO / CHACINA DE SORRISO

Audiência de criminoso que estuprou e matou mãe e filhas em MT é adiada para maio

Defensor público que faria a defesa de Gilberto dos Anjos não pode comparecer na sessão por um erro na agenda.

Ari Miranda
Única News



A primeira audiência do criminoso Gilberto dos Anjos (32), que em novembro do ano passado invadiu uma residência, estuprou e matou mãe e filhas na cidade de Sorriso (397 Km de Cuiabá), foi remarcada para o início de maio.

A princípio, a audiência do “maníaco de Sorriso” deveria ter ocorrido na terça-feira (23), porém foi adiada por um conflito na agenda do defensor público designado para defender o assassino.

Segundo Conrado Pavelski, o advogado de acusação do caso, o defensor público precisou comparecer a uma audiência no Fórum de Sinop (500 Km de Cuiabá), para acompanhar réus de outro caso, inviabilizando sua participação na defesa de Gilberto na data prevista.

Gilberto segue preso no Raio 8 da Penitenciária Central do Estado (PCE), onde está em cela isolada dos demais detentos.

O CRIME

Cleci e as filhas Miliane, Manuela e Melissa foram encontradas mortas na manhã do dia 27 de novembro de 2023, na casa da família, em Sorriso (397 km de Cuiabá).

Pouco tempo depois dos corpos serem localizados por agentes das forças de segurança, o pedreiro Gilberto Rodrigues dos Anjos (32) foi preso pela Polícia Civil. Ele trabalhava e morava em uma construção civil ao lado da casa das vítimas e confessou o crime, alegando que há dias vinha sondando a rotina da família.

O pedreiro confessou ainda que, degolou a mãe e suas duas filhas mais velhas e as estuprou enquanto ainda agonizavam. Já a menor, foi morta pelo assassino asfixiada com um travesseiro.

ESTUPRO DE VIZINHA

Segundo a Polícia Civil, no dia 17 de setembro do ano passado, quase 40 dias antes da barbárie em Sorriso, Gilberto cometeu um novo crime.
Desta vez, contra uma vizinha, no bairro Rio Verde, em Lucas do Rio Verde (332 Km de Cuiabá), onde o pedreiro estuprou e tentou degolar a vítima, mesmo modus operandi usado na “chacina de Sorriso” porém fugiu numa bicicleta, deixando a mulher em estado de choque e com cortes no pescoço.

(Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal)

Osno mendes.jpeg

O jornalista Osni Mendes, morto pelo pedreiro Gilberto dos Anjos em 2013.

ASSASSINATO DE JORNALISTA

Gilberto chegou a ser preso em 2013 no estado de Goiás, pelo assassinato do jornalista Osni Mendes, ocorrido em 22 de dezembro daquele ano na cidade de Mineiros, sudoeste goiano. Na ocasião, Osni foi morto após conhecer o criminoso em um bar da cidade, de onde o pedreiro saiu com a vítima para outro bar.

Todavia, no caminho, durante uma parada para fazer xixi, Osni tentou beijar Gilberto à força, momento em que o pedreiro o empurrou, dando inicio a uma luta corporal. O jornalista foi nocauteado pelo criminoso, que aproveitou o momento para estrangular sua vítima utilizando uma camisa.

Ele foi preso cinco dias depois do crime na zona rural da cidade e ficou 160 dias na prisão. Contudo, em junho de 2014, conseguiu na Justiça um relaxamento da pena, por conta do excesso de prazo na conclusão do inquérito policial e foi solto da cadeia.

Quando estava em liberdade, foi intimado para prestar esclarecimentos, mas já havia desaparecido.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia