Cuiabá, 15 de Junho de 2024

JUDICIÁRIO Sexta-feira, 24 de Maio de 2024, 18:30 - A | A

24 de Maio de 2024, 18h:30 - A | A

JUDICIÁRIO / FALSIDADE IDEOLÓGICA

Ex-golpista que se passou por herdeiro da Gol é absolvido de processo na Justiça de MT

Após assumir quase 16 identidades falsas, Marcelo Nascimento da Rocha, o “Marcelo Vip”, ficou conhecido nacionalmente como o “maior golpista do país”.

Ari Miranda
Única News



Em decisão publicada na última quarta-feira (22), a juíza Suzana Guimarães Ribeiro, da 6ª Vara Criminal de Cuiabá, absolveu o empresário Marcelo Nascimento da Rocha, o “Marcelo 'Vip'”, no processo baseado apenas em suspeitas de que ele teria cometido falsidade ideológica e associação criminosa.

Além de Marcelo Vip, que já chegou a ser considerado “o maior golpista do Brasil”, a decisão judicial também absolveu os réus Márcio Batista da Silva, Carlos Rangel dos Santos e Mário Teixeira Santos da Silva.

O grupo foi alvo da Operação Regressus, deflagrada em 2018, onde o empresário chegou a ser denunciado também pelo crime de fraude processual. Segundo as investigações, “Vip” e seus comparsas estariam atuando para conseguirem benefícios para reduzerem suas penas junto à Vara de Execuções Penais de Cuiabá.

Relatórios policiais apontaram que, entre 2014 e 2015, Márcio e Marcelo teriam inserido declarações fraudulentas em folhas de ponto da empresa FB Brasil Serviços Ltda. ME, com o fim de alterar a verdade sobre o fato juridicamente relevante.

Em depoimento, investigadores destacaram irregularidades nos sinais das tornozeleiras dos acusados, que solicitavam o deslocamento para o local de trabalho, que seria na referida empresa, mas não compareciam.

No entanto, o conjunto de provas do processo nos autos rebateu as provas indiciárias.

Um depoimento crucial no caso foi do juiz Geraldo Fernandes Fidélis, titular da Vara de Execuções Penais, que atestou que Marcelo não cometeu nenhuma irregularidade quanto aos documentos apresentados na unidade judiciária. Declarou, ainda, que todos os equívocos relacionados aos processos dos acusados foram devidamente esclarecidos.

“À vista de todas as provas produzidas nos autos, em especial aos depoimentos colhidos em juízo, denota-se que as declarações dos investigadores de Policia confrontam com os depoimentos das demais testemunhas, inclusive com as declarações da testemunha juiz de direito, Dr. Geraldo Fidélis, o qual afirmou que não houve irregularidade com os documentos apresentados pelos acusados em sede de execução penal”, destacou a juíza.

Para a magistrada, as provas dos autos não trazem elementos seguros das alegadas práticas criminosas imputadas à Marcelo Vip e os demais indiciados.

“Friso que é preciso ter cautela ao utilizar a prova indiciária, não sendo possível condenar o réu baseando apenas em suspeitas. Embora existissem indícios na fase policial, estes não se erigiram em provas cabais capazes de fundamentar um decreto condenatório”, frisou Suzana.

“A condenação só se faz necessária se o conjunto probatório comprova que o réu praticou o delito com base em provas irrefutáveis, fato que, no presente caso, não restou demonstrado de forma suficiente e indubitável”, determinou a juíza, absolvendo Marcelo e os demais indiciados.

(Foto: Reprodução/Internet)

59ad8bd55173f66b0d2c5dd849cc8005.jpg

Marcelo Vip e o apresentador de TV Amaury Jr., em entrevista durante evento em Recife, no ano de 2001.

MENTIRAS

Marcelo "Vip" ficou conhecido nacionalmente por ser um "mentiroso contumaz", que já assumiu quase 16 identidades falsas.

Ele se passou por policial, olheiro da seleção brasileira, produtor do ‘Domingão do Faustão’, líder da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) e repórter da MTV. Em um de seus golpes mais famosos, entre os anos 1990 e 2000, fingiu ser guitarrista da banda de pop rock gaúcha Engenheiros do Hawaii.

Seu maior golpe, no entanto, foi ter se passado por Henrique Constantino, herdeiro da Gol Linhas Aéreas, tendo inclusive concedido entrevista como tal ao apresentador Amaury Jr., durante um evento na cidade de Recife (PE), em 2001.

Logo depois, ele foi preso pela Polícia Federal. Na ocasião, “Vip” estava acompanhado pelo atores Marcos Frota e Carolina Dieckmann, e ambos ficaram chocados com a prisão. Ele alugou um jatinho para fazer uma "cortesia" aos famosos, fato que chamou a atenção dos policiais federais.

Sua trajetória inclusive inspirou o filme “VIPs – Histórias Reais de um Mentiroso” (2011), protagonizado pelo ator Wagner Moura.

Atualmente, Marcelo vive em Cuiabá, onde atua como produtor de eventos.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia