Cuiabá, 17 de Junho de 2024

POLÍCIA Sexta-feira, 12 de Abril de 2024, 12:15 - A | A

12 de Abril de 2024, 12h:15 - A | A

POLÍCIA / INTERCEPTADO PELA FAB

Após sequestrar motorista de ambulância, piloto que fez pouso forçado em MT é preso em RO

Suspeito foi preso durante uma ação em conjunto das Polícia Civil, Militar e Federal de Rondônia.

Ari Miranda
Única News



O piloto do avião bimotor Seneca, prefixo PT-RQY que fez um pouso forçado na zona rural de Rondolândia (1.064 Km de Cuiabá), após ser interceptado por aviões de caça Super Tucano, da Força Aérea Brasileira (FAB) na manhã de quarta-feira (10), foi preso em uma ação das policias Federal, Militar e Civil de Rondônia nesta quinta-feira (11).

O suspeito foi localizado próximo ao município de Cacoal, a aproximadamente 90 quilômetros do local do acidente, após render o motorista de uma ambulância e obrigar o homem a dirigir rumo ao estado de Rondônia. No entanto, acabou preso em flagrante pelos crimes de sequestro, desobediência, usurpação de bem da União, entre outros crimes.

Após a prisão, o criminoso foi entregue à Polícia Federale encaminhado para a Delegacia da PF de Ji-Paraná (RO) para os procedimentos legais.

INTERCEPTAÇÃO

Segundo informações, a aeronave vinda da Bolívia havia invadido o espaço aéreo brasileiro sem autorização e foi interceptada por aviões da FAB por volta das 13 horas de quarta-feira (10)

De acordo com a Força Aérea, durante a aplicação das Medidas de Policiamento do Espaço Aéreo (MPEA) na aeronave suspeita, foi determinado, via rádio, a mudança de rota e pouso obrigatório na cidade de Cacoal, em Rondônia, que foi desobedecido pelos pilotos do avião invasor.

Neste momento, a equipe da Força Aérea deu um tiro de aviso na aeronave, obrigando os tripulantes a fazerem o pouso forçado no meio de uma área de pastagem. Assim que pousaram, os criminosos atearam fogo na aeronave para apagar as pistas e fugiram.

Uma equipe da Polícia Federal foi até o local onde o avião caiu e constatou que, além de invadir o espaço aéreo brasileiro, o Seneca estava com seu certificado de aeronavegabilidade vencido. Além disso, os agentes acreditam que a aeronave possivelmente estava sendo utilizada por traficantes de drogas e, no momento do incidente, estava carregada com entorpecentes.

Policiais fizeram rondas pela região, porém não localizaram os suspeitos.

Os destroços do avião foram recolhidos e devem ser encaminhados para perícia do Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta) da Força Aérea Brasileira.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3