Cuiabá, 19 de Maio de 2024

POLÍCIA Quinta-feira, 20 de Abril de 2017, 10:38 - A | A

20 de Abril de 2017, 10h:38 - A | A

POLÍCIA / CRIME CAUSOU REVOLTA

Jovem que gravou vídeo estuprando cadela em Cuiabá está foragido

Wellyngton Souza / Única News



(Foto: Divulgação)

IMG-20170420-WA0006.jpg

 

O jovem Emerson Fernandes Pedroso, morador do bairro Pedra 90, em Cuiabá, teve o pedido de prisão deflagrado pela Delegacia Especializada do Meio Ambiente (Dema), da Polícia Judiciária Civil, na noite desta quarta (19), mas não foi localizado em sua residência.

 

Emerson tem vídeos circulando nas redes sociais em que ele mesmo gravou estuprando uma cachorra dentro do banheiro de uma residência. Durante o vídeo, ele alega que o animal não reclama de dores e que estaria, no entanto, ‘acostumado’ de manter relações sexuais.

 

Diversas mensagens de ódio e ameaças de morte foram comentadas em suas redes sociais no Facebook e Instragram. Na tarde desta quarta, Emerson excluí uma das suas contas. Ele deverá responder por crimes de maus tratos e associação criminosa, inclusive já teria indiciado nos delitos praticados.

 

 Leia Mais - Jovem grava vídeo transando com a própria cachorra dentro do banheiro

 

Segundo a Polícia Civil, há suspeita de que o estudante seria membro de um grupo de zoófilos - pessoas que têm atração e envolvimento sexual com animais de outras espécies. Os integrantes desse grupo ainda estão em processo de identificação.

 

O delegado Gianmarco Paccola Capoani informou que a delegacia tomou conhecido dos fatos através do vídeo que circulou no aplicativo WhatsApp e notícias veiculadas na imprensa. "Imediatamente iniciamos as diligências para identificação da pessoa do vídeo. Os trabalhos se prolongaram por toda a noite de ontem até a manhã desta quinta-feira (20), com a representação do pedido de prisão do rapaz, que não foi localizado pelas equipes policiais", disse o delegado.

 

O delegado também analisou os comentários das reportagens dos cidadãos, que segundo ele, ficaram "chocados e estarrecidos com os fatos". "São dezenas de apelos sociais demonstrando extrema aversão à prática delitiva. Vislumbramos inclusive que algumas pessoas estão tão revoltadas que chegaram a proferir ameaças contra o autor dos fatos", pontuou.

 

Conforme Gianmarco Paccola, "trata-se um fato que abalou o sentimento social, e certamente, além das questões criminais aqui investigadas, é certo que deverá haver paralelamente sanções de reparação de dano extrapatrimonial ambiental".

 

A Polícia Civil também destacou a necessidade mandado de busca e apreensão para  coleta de provas, como eventuais computadores e/ou celulares, bem como do resgate de animais que possam estar no endereço do indiciado, para maior profundidade do resultado das investigações. (Com informações da Assessoria) 

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3