Cuiabá, 21 de Julho de 2024

POLÍCIA Terça-feira, 02 de Maio de 2017, 11:55 - A | A

02 de Maio de 2017, 11h:55 - A | A

POLÍCIA / BALEIA AZUL

Menina recebe convite para jogo desafiador e polícia identifica "curador" com DDD 65

Por Suelen Alencar/ Única News



sobrevivente-salva-pela-mae-diz-que-baleia-azul-so-gera-sofrimento.jpg

 

A Polícia Civil registrou um novo caso do "desafio da Baleia Azul" em Mato Grosso, dessa vez identificado em Cuiabá. Segundo informações do boletim de ocorrência uma menina de 12 anos, moradora da Cohab São Gonçalo teria sido convidada a participar do desafio por meio de convite através de rede social. 

 

As informações são de que ao ser convidada, a menina em desespero contou aos familiares que decidiram registar o boletim, na última sexta-feira (28). Conforme contou a polícia, a menina teria sido convidada para participar de um grupo de Whatssap, denominado  "Blue Whale" , tradução para português de "Baleia Azul", por um administrador chamado Guilherme. 

 

A mensagem, enviada por um número de código DDD 65, continha os 50 desafios proposto pelo jogo - uma das tarefas seria  "pular de um prédio". Outras cinco pessoas estariam no grupo, incluindo uma outra adolescente da mesma escola da menina.  O caso será investigado pela Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica) e acompanhado pela Gerência de Combate aos Crimes de Alta Tecnologia (Gecat).

 

O jogo desafiador colocou pais em alerta, quanto ao uso indiscriminado de jovens na internet. A preocupação com o jogo “Desafio da baleia azul” ou “Blue Whale” tem gerado muitas informações na internet. Conteúdo que dependendo da forma que forem divulgados gera um processo inverso, que pode servir para propagar o uso e estimular a participação de jovens no jogo que desafia ações perigosas. O site Única News conversou com a psicóloga Cláudia F. Pezzini, formada pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, que fez um paralelo sobre a busca dos jovens em ‘aceitação’. 

 

Sobre essa necessidade, Pezzini diz que é um 'sistema social' que cada tempo da sociedade passa por isso. Segundo ela, "hoje há uma confusão entra a infância e adolescência, o problema não é a tecnologia e sim o uso que se faz dela. Não dá para demonizar, o que dá para fazer é pontuar o uso indiscriminado, sem limite dessas crianças e adolescentes”, pontou.

 

O desafio proposto aos jovens vai desde a automutilação, assistir filme de terror até acordar as 4:20 da manhã e subir em telhados e altura perigosas. Uma das questões levantadas pela psicóloga é que esses desafios e jogo online acaba assumindo o papel de referência.

 

Caso Maria de Fátima

 

Em Vila Rica, inteiror de Mato Grosso, uma mãe que estava com a filha desaperecida encontrou dias depois o corpo da jovem de 16 anos  na lagoa central da cidade. Segundo o boletim de ocorrência, Maria de Fatima tinha começado a fazer cortes nos braços há dois meses atrás  e deixou duas cartas, nas quais explicava os processos de um jogo na internet, denomidado "Baleia Azul".  No Brasil já setes estados com casos de jovens envolvidos com o jogo. 

 

 

Leia mais 

 

Jovem de Mato Grosso pede ajuda da polícia para sair de jogo online

Outros cinco jovens relatam à polícia que estão no jogo "baleia azul" e pedem ajuda para sair

Página promove 'Baleia Rosa', o desafio do bem

Jovem de Mato Grosso pede ajuda da polícia para sair de jogo online

 

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3