Cuiabá, 28 de Maio de 2024

POLÍTICA Terça-feira, 11 de Abril de 2017, 18:10 - A | A

11 de Abril de 2017, 18h:10 - A | A

POLÍTICA / CITADO NA LAVA JATO

Blairo rebate lista "não sei sequer do que sou acusado"

Por Suelen Alencar/ Única News



(Foto: Reprodução)

maggi- 2.jpg

 

O Ministro da Agricultura, Blairo Maggi  (PP) citado, pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em uma nova lista de investigados na Operação Lava Jato manifestou dizendo que "nem si quer sabe do que é acusado".

  

Na tarde desta terça-feira (11), o ministro Luiz Edson Fachin, relator da Lava Jato, determinou a abertura de inquérito contra o ex-governador e outros oito ministros do Governo Temer. A informação veio a tona após a publicação do jornalista Fausto Macedo, do Estadão.

 

Os crimes apontados no relatório são corrupção passiva, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica além de fraude em licitações. Em publicação pelo facebook, Blairo disse que não teve acesso de nenhum conteúdo para se defender e que qinda sim esclarece que nada tem com ações fraudulentas com ligações a Odebrecht. 

 

"Lamento que meu nome tenha sido incluído numa lista de pessoas citadas em delações da Construtora Odebrecht, sem que eu tivesse qualquer possibilidade de acesso ao conteúdo para me defender. Me causa grande constrangimento ter minha honra e dignidade maculadas, numa situação na qual não sei sequer do que sou acusado", respondeu Maggi via facebook.

 

A lista ainda aponta 29 senadores e 42 deputados federais, entre os nomes está o ex-candidato a presidência Aécio Neves (PSDB) e o senador da República Romero Jucá Filho (PMDB-RR). A investigação do STF ainda atinge um ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), três governadores e 24 políticos e autoridades que não tem foro no STF. 

 

Veja publicação na íntegra:

 

Lamento que meu nome tenha sido incluído numa lista de pessoas citadas em delações da Construtora Odebrecht, sem que eu tivesse qualquer possibilidade de acesso ao conteúdo para me defender. Me causa grande constrangimento ter minha honra e dignidade maculadas, numa situação na qual não sei sequer do que sou acusado. Mesmo assim, gostaria de esclarecer que:

1.Não recebi doações da Odebrecht para minhas campanhas eleitorais.

2.Não tenho ou tive qualquer relação com  a empresa ou os seus dirigentes.

3.Tenho minha consciência tranquila de que nada fiz de errado.

 

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia