Cuiabá, 22 de Maio de 2024

POLÍTICA Sexta-feira, 15 de Setembro de 2017, 15:35 - A | A

15 de Setembro de 2017, 15h:35 - A | A

POLÍTICA / ALVO DA MALEBOLGE

Procurador defende afastamento de Pinheiro do cargo

Wellyngton Souza / Única News



(Foto: MPE-MT)

promotor Mauro Curvo.jpg

 

O procurador-geral de Justiça, Mauro Curvo, é favorável ao afastamento do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, após ter sido flagrado recebendo suposta propina do então chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa, Silvio Corrêa.

 

Na tarde desta quinta (14), Curvo se reuniu com onze dos 25 vereadores de Cuiabá que pediam a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), contra o chefe do Palácio Alencastro. Entretanto, dos onze, apenas seis assinaram o pedido na Casa de Leis, quando a proposta são nove assinaturas para abertura da CPI.

 

"No meu ver, quando qualquer agente público é visto fazendo algo ilícito é um erro gravíssimo. Ainda mais se tratando de corrupção. Diante dos fatos, era preciso sim um afastamento", declarou Curvo.

 

Pinheiro é um dos investigados no inquérito instaurado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux, após ser citado pelo ex-governador Silval Barbosa (PMDB), como um dos deputados que recebiam 'mensalinho', como garantia que os projetos de governo, enviados pelo ex-gestor, fossem aprovados. Pinheiro além de ter sido citado, ainda foi filmado recebendo a suposta propina.

 

Também nesta quinta, o ministro do Supremo Tribunal Feferal (STF), Luiz Fux, negou o pedido da Procuradoria Geral da República (PRG) que requeria o afastamento do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB).

 

A falta de contemporaneidade dos fatos foi o motivo para o ministro negar o afastamento. “Não há que se falar em afastamento do prefeito Emanuel Pinheiro por conta de ato levado a efeito no cumprimento de mandato de parlamentar estadual”, diz a decisão.

 

A Prefeitura de Cuiabá e a residência de Emanuel, forma alvos de busca e apreensão nesta quinta, durante deflagração da operação Malebolge, desencadeada pela Polícia Federal.  Da residência, foram retirados apenas um malote com documentos, um computador e um notebook.

 

A Malebolge foi desencadeada em dois Estados e em Brasília, contra alvos citados na delação premiada do ex-governador Silval Barbosa (PMDB). Foram cumpridos mandados em 64 endereços. Em Mato Grosso, a operação teve como alvo, além de Pinheiro, vários parlamentares e já causou o afastamento de cinco conselheiros no Tribunal de Contas do Estado.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia