Cuiabá, 27 de Maio de 2024

POLÍTICA Terça-feira, 07 de Novembro de 2017, 18:55 - A | A

07 de Novembro de 2017, 18h:55 - A | A

POLÍTICA / ARRECADOU MAIS DE R$ 1 BI

Relatório aponta crescimento de 7% na receita tributária em setembro

Da Redação



(Foto: Gcom)

Palácio Paiaguás

 

A receita tributária do Estado superou 7% da projeção esperada pata o mês de setembro, totalizando em R$ 1,030 bilhão. A informação é da Secretaria de Estado de Planejamento (Seplan) que divulgou, nesta terça-feira (07), a quarta edição do Boletim Mensal de Acompanhamento das Finanças de Mato Grosso.

 

A publicação apresenta o quadro conjuntural das finanças de Mato Grosso, considerando a realização do mês de setembro. E incluiu nesse total a arrecadação do ICMS, Imposto de Renda e Ipva, sendo eles, 88%, 10% e 2%, respectivamente.

 

Analisando o desempenho da receita tributária entre janeiro e setembro, no acumulado do período houve frustração de aproximadamente 4% entre o projetado e o realizado. Esse déficit está associado, principalmente, ao desempenho das receitas decorrentes do ICMS e IR, que acumulam frustração de, respectivamente, 3% e 5% em relação à previsão inicial.

 

Em contrapartida as arrecadações animadoras, o boletim mostror que em setembro, a despesa total liquidada, que inclui os gastos de todos os Poderes, somou R$ 1,667 bilhão, superando em mais de R$ 296 milhões a previsão inicial para o período. Conforme o documento, esse excesso foi decorrente de dispêndios com pessoal e despesas financeiras (amortização e serviço da dívida).

 

No acumulado do período, os gastos totais do Estado foram de R$ 12,983 bilhões, montante 5% inferior ao estimado. De acordo com a equipe técnica que elabora o Boletim, essa variação pode sugerir uma melhora na gestão dos gastos estaduais, entretanto, ela esteve associada à não concretização dos dispêndios previstos com investimentos e ao achatamento dos gastos com outras despesas correntes.

 

O relatório compreende, ainda, o desempenho dos indicadores de governança fiscal, que trata, em linhas gerais, do acompanhamento e avaliação da capacidade do governo de conduzir a política fiscal.

 

O resultado desse indicador demonstra que, em setembro, as receitas próprias do Estado compreenderam 65% da receita primária total. Diante desse cenário, é ressaltada pela equipe técnica que a situação fiscal do Estado torna-se mais restritiva, elevando o grau de dependência de receitas externas, como transferências e operações de crédito.

 

O Boletim de Acompanhamento das Finanças do Estado é divulgado no site da Seplan na segunda quinzena de cada mês. O produto é resultado da Superintendência de Estudo da Despesa e Receita, unidade vinculada à Secretaria Adjunta de Orçamento, e tem como objetivo fornecer à sociedade um cenário que possibilite a análise da política fiscal, por meio do acompanhamento do desempenho das transações do governo.

 

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia