Cuiabá, 15 de Junho de 2024

RADAR NEWS Terça-feira, 23 de Abril de 2024, 10:59 - A | A

23 de Abril de 2024, 10h:59 - A | A

RADAR NEWS / CÂMARA DE CUIABÁ

Maysa e Fellipe declaram guerra após reunião por atrasos e faltas; "Sou bom amigo, mas ótimo inimigo"

Fred Moraes
Única News



A reunião marcada pelo presidente da Câmara de Cuiabá, vereador Chico 2000 (PL), para tratar sobre os constantes atrasos cometidos por boa parte dos parlamentares da Casa de Leis, nesta segunda-feira (22), terminou em uma intensa troca de ameaças entre dois vereadores: Maysa Leão (Republicanos) e Fellipe Corrêa (PL). Durante o colégio de líderes, que reuniu os 25 parlamentares, ao fazer o uso da fala, Maysa afirmou que um vereador chega mais tarde que os demais e sempre sai do plenário para fumar.

Fellipe, ao se atentar que as críticas vinham para sua pessoa, atacou a vereadora. Pedindo para que ela cessasse as falas, dizendo ser “um ótimo amigo, mas péssimo como inimigo”, insinuando uma suposta perseguição em tom de ameaça. A vereadora conta que ainda questionou as procedências da fala do bolsonarista e o repreendeu, mediante os outros colegas.

"Eu fui intimidada na frente de todos os vereadores. Ele me disse: 'Não venha falar de mim, não venha me expor. Estou te avisando, sou um bom amigo, mas sou um péssimo inimigo'. Não queria dar palco para esse colega, mas não posso fugir desse enfrentamento", disse Maysa nesta terça-feira (23).

Por fim, Maysa revelou que não pretende mover nenhum pedido de Comissão Processante contra o parlamentar pelas ameaças. Ela entende que a discussão pode ser levada para um “baixo nível” da política e prejudicar seu trabalho enquanto vereadora.

"Não vou fazer isso, não acho que isso é cabível de cassação. Eu me posicionei na imprensa para ele fazer uma reflexão de gênero. Eu não tenho telhado de vidro, estou aqui para trabalhar. Não vou baixar nível e nem me calar", finaliza.

A REUNIÃO

Após diversas sessões plenárias vazias, o presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, vereador Chico 2000 (PL), decidiu convocar uma reunião extraordinária com os 25 vereadores da capital para tratar dos atrasos e faltas injustificadas pelos parlamentares. Na semana passada, uma sessão chegou a ser interrompida diversas vezes por falta de quórum, número mínimo de vereadores em plenário para realizar a votação e aprovação dos projetos dos parlamentares.

O presidente da Casa de Leis desabafou para imprensa na semana passada, que está se tornando comum alguns vereadores chegarem ao parlamento às 9h, período marcado para iniciar as sessões, e que os demais só chegam às 10h, ou 11h, por isso resolveu reunir todos os vereadores para encontrarem uma solução para o problema.

“Se a falta for justificada, não há o que ser feito. Convocamos uma reunião com os 25 vereadores na presidência para tratarmos dos horários das sessões e criarmos alternativas. Mas, não está certo suspender a sessão por falta de quórum, a reclamação é que sempre são 9 vereadores que seguram o parlamento, e os outros sempre chegam 10h, ou 11h. Os 9 se cansaram de segurar, é um problema e iremos mediá-lo. Na segunda estabeleceremos algumas coisas que devem ser redefinidas”, disse Chico.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia