Cuiabá, 23 de Maio de 2024

CIDADES Segunda-feira, 13 de Março de 2017, 16:42 - A | A

13 de Março de 2017, 16h:42 - A | A

CIDADES / ANIMAIS PREDADORES

Parque das Águas apresenta risco à população e secretário culpa gestão passada

Wellyngton Souza / Única News



(Foto: Roger Perisson)

WhatsApp Image 2017-03-13 at 11.04.16.jpeg

Jacarés e cobras são facilmente vistos próximo a margem do lago 

A presença de animais no Parque das Águas – obra inaugurada por Mauro Mendes (PSB) e que simboliza chave de ouro da sua gestão - apresenta sérios riscos a população que frequenta o local.

 

A obra - orçada em mais de R$ 14 milhões e ainda com diversos problemas, deixa uma preocupação quanto ao convívio de diversas espécies de animais como jacarés e cobras - jiboias e sucuris como já encontradas – que chama atenção da população.

 

O secretário Municipal de Obras Públicas, Leovaldo Sales, disse ao site Única News que o parque foi inaugurado de maneira precária – as pressas e os serviços não foram completamente concluídos. O atual gestor relatou ainda que a pasta tem se responsabilizado com os pequenos trabalhos de orientação aos frequentadores em algumas estruturas.

 

Questionado quanto a presença de jacarés e cobras que dividem o mesmo espaço com a população, Leovaldo garantiu que não há riscos quanto ao ataque de pessoas que fazem caminhada em torno da lagoa ou de crianças brincando. Pois a prefeitura tem feito trabalho de instalação de placas alertando as áreas que são proibidas.

 

O secretário destacou ainda que o parque foi inaugurado de maneira irregular, visto que a área pertence a uma preservação ambiental. “O mesmo equivale para cobras. Ali é um ambiente de preservação permanente. Temos uma flora protegida. Quem são os reais invasores somos nós, e não os animais. A atual gestão tem que adotar medidas preventivas e corretivas para que o risco seja o menor possível”, relatou.

(Foto: Divulgação)

phpThumb_generated_thumbnail.jpg

 Uma cobra jiboia foi vista na calçada do parque nesta segunda (13)

 

Leovaldo alegou ainda que por se tratar de uma obra recém inaugurada e estar um pouco distante do conhecimento das pessoas a presença desses animais, é natural causar “preocupação”.

 

É uma coisa muito recente, muito nova, não aconteceu nenhum procedente ainda para gerar preocupação. Se as pessoas se orientarem pelas placas de advertências não teremos nenhum procedente de nenhum animal. O único animal supostamente agressivo ali é um jacaré numa população muito pequena, portanto não corre o risco de se deslocaram para outras partes”, disse.

 

O projeto ‘Parque das Águas Júlio Domingos de Campos, o ‘Seo Fiote’’, foi lançado no final de 2013, mas as obras só foram iniciadas em setembro de 2015 e compreende um espaço de lazer de 270 mil m².

 

Procurado pela reportagem, o ex-secretário Municipal de Cultura, Alberto Machado, mostrou naturalidade ao perceber a presença de jacarés no parque. “Moramos numa região próximo do Pantanal e Cuiabá nos surpreende com a presença de jacarés em residências e córregos da capital. É uma condição natural. O que ocorre na lagoa, é que após a inauguração do parque se tornou mais comum das pessoas avistarem esses animais”.

 

Ele justificou que o parque recebeu todas as orientações e fiscalizações devidas para a construção na garantia de que nenhum imprevisto poderia ocorrer. “Tudo foi muito bem acompanhado por engenheiros ambientais e pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) para a entrega que hoje é um cartão postal da capital”.

 

Por outro lado, a assessoria de imprensa da Sema comunicou que por se tratar de uma obra sob administração municipal, o órgão não responde pela fiscalização e nem responsabilidade devida a uma ocorrência se tratando com os animais. “A responsabilidade total é da prefeitura. E não existe nada que possa ser feito sobre os animais – manejo ou readequação -  e nem se houver um risco de ataque porque é habitat natural das espécies”.

 

A bióloga Jussara Iurk contou que o grande fluxo de pessoas, a presença de animais domésticos e barulho no local pode ocasionar um estresse nos animais e consequentemente, despertar o interesse para outros locais, como gramados, calçadas e ruas.

 

Toda essa movimentação pode despertar ao animal uma certa curiosidade por eles terem um faro muito aguçado. A chance de alguma pessoa ser atacada é maior porque eles estão soltos na natureza. Os riscos são maiores do que a pessoa frequentar o zoológico, já que o local é cercado”.

 

Outro caso

 

Uma cobra da espécie Jiboia foi encontrada na manhã desta segunda (13), em torno do Parque das Águas, em Cuiabá. Um agente de trânsito foi visto mexendo no animal que media pouco mais de um metro de cumprimento. Agentes da Polícia Militar também esteve no local até a chegada do Corpo de Bombeiros.  

 

Leia MaisMauro entrega Parque das Águas Júlio Domingos de Campos e fecha gestão "com chave de ouro"

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Álbum de fotos

(Foto: Divulgação)

(Foto: Divulgação)

(Foto: Roger Perisson)

(Foto: Roger Perisson)

Comente esta notícia