Cuiabá, 17 de Junho de 2024

POLÍCIA Quinta-feira, 28 de Março de 2024, 18:11 - A | A

28 de Março de 2024, 18h:11 - A | A

POLÍCIA / MORTES NO SHOPPING POPULAR

"Atirador que matou comerciante e vendedor não tinha experiência com armas", revela delegado

Em depoimento, criminoso disse que teve poucos contatos com armas de fogo antes do crime. Inexperiência pode ter causado morte da segunda vítima.

Ari Miranda
Única News



O criminoso Silvio Junior Peixoto (26), que atirou e matou o comerciante Gersino Rosa dos Santos (43), e o vendedor Cleyton de Oliveira Souza Paulino (27), disse em depoimento ao delegado Nilson Farias, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Cuiabá, que nunca tinha utilizado uma arma de fogo na vida. A informação foi revelada à imprensa na manhã desta quinta-feira (28) durante coletiva de imprensa.

Silvio Junior foi preso na manhã da última segunda-feira (25), em Uberlândia, no triângulo Mineiro, onde passou pelo primeiro interrogatório e confessou a autoria do crime, revelando ao delegado que, até aquele dia, nunca tinha manuseado uma pistola 9mm na vida, motivo pelo qual atirou à queima roupa no comerciante.

“Inclusive [o Silvio] nunca tinha utilizado [uma pistola]. No máximo espingarda que ele já tinha atirado, mas não tem costume de usar arma de fogo. E talvez por esse motivo que ele chegou tão perto para poder efetuar o disparo, porque ele realmente não sabia manusear”, revelou o delegado.

Além disso, o criminoso deixou claro que tinha como único alvo “Nenê”, apelido pelo qual Gersino era conhecido no Shopping Popular de Cuiabá, ressaltando que não teve a intenção de matar a segunda vítima da ação, o vendedor Cleyton, que morreu com um disparo acidental no pescoço.

Contudo, mesmo com sua inexperiência em tiro e o fato de conhecer pouco sobre a pistola que utilizou na ação, o delegado não “isentou” o criminoso e enfatizou que, ao atirar com uma arma de grande potência dentro de um recinto fechado, Silvio assumiu o risco de matar outras pessoas que estivessem por perto.

“Uma pessoa que faz um disparo de uma arma que tem um calibre com muita velocidade, que não é um calibre impactante, mas sim transfixante, já sabe que se ela efetuar o disparo na nuca de alguém num lugar com grande aglomeração de pessoas, esse disparo certamente vai transfixar e acertar um terceiro que não tem nada a ver”, asseverou Nilson.

“Então, ele assumiu o risco exatamente ao usar uma 9mm dentro de um shopping. Ele com certeza sabia que poderia acertar mais pessoas”, pontuou o delegado.

PRISÃO E RECAMBIAMENTO

O criminoso foi preso na segunda-feira (26). Ele estava escondido na casa da tia de uma ex-namorada quando foi preso pela equipe da DHPP em parceria com a equipe da Delegacia de Polícia Civil de Uberlândia, onde o criminoso foi interrogado pelo delegado da divisão de Homicídios cuiabana.

Após autorização da Justiça mineira, Sílvio Junior Peixoto foi recambiado à Mato Grosso em um avião do Ciopaer para a capital mato-grossense, onde chegou na manhã desta quinta-feira (28).

O criminoso será ouvido novamente pelo delegado nas próximas horas e, posteriormente,  deve ser encaminhado para a Penitenciaria Central do Estado (PCE-MT), onde aguardará decisão da Justiça.

 

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3