Cuiabá, 15 de Junho de 2024

POLÍCIA Quarta-feira, 29 de Maio de 2024, 09:28 - A | A

29 de Maio de 2024, 09h:28 - A | A

POLÍCIA / ATENTADO EM CUIABÁ

Comandante-geral da PM lamenta morte de sargento e questiona inexistência de prisão perpétua

O sargento Odenil foi morto em horário de serviço. Lotado no 3º Batalhão da PM, ele estava escalado para serviço e fazia o policiamento na UPA Morada do Ouro

Christinny dos Santos
Única News



O comandante-geral da Polícia Militar em Mato Grosso, coronel Alexandre Mendes, lamentou a morte do sargento PM Odenil Alves Pedroso, morto a tiros em frente à UPA Morada do Ouro, em Cuiabá, nessa terça-feira (28). O militar do alto escalão questionou ainda a falta de penas mais severas para assassinos, especialmente os de policiais.

"Dilacerados, estamos todos a perguntar: Que país é esse onde um criminoso pode assassinar um policial sem esperar uma pena perpétua ou, no mínimo, uma pena sem qualquer tipo de progressão? Com a palavra, nossos legisladores", indagou o comandante-geral.

O sargento Odenil foi morto em horário de serviço. Lotado no 3º Batalhão da PM, ele estava escalado para serviço e fazia o policiamento na UPA Morada do Ouro. Ele lanchava em um estabelecimento em frente à unidade quando foi baleado, chegou a ser socorrido, mas morreu em cirurgia.

"Depois de lutar na mesa de cirurgia até o fim, bravamente, nos deixa o Sgt Odenil Alves. Chora a PM o sangue de seu herói que ainda está no asfalto onde tombou cumprindo o seu dever", lamentou o coronel Mendes.

Retaliação

Conforme apurado pelo Única News, o crime foi atribuído à facção criminosa Comando Vermelho, que jurou vingança pela morte do criminoso Micael Oliveira Medeiros (26), vulgo “Satã”, que morreu em confronto com policiais militares da Força Tática no último domingo (26), no bairro Jardim Vitória, em Cuiabá.

Micael tinha mais dez passagens pela polícia por crimes como roubo, tráfico de drogas, formação de quadrilha, motim e outros. Durante o velório de dele, lideranças teriam jurado vingança pela sua morte.

Caçada

O comandante-geral determinou uma "caçada sem precedentes" ao bandido que atirou na cabeça do sargento. "De forma incisiva, é nossa ordem expressa deflagrar uma caçada sem precedentes a esse criminoso e àqueles que lhe prestaram apoio, através de todas as unidades e meios de ação da PMMT", afirmou o coronel, em nota enviada à imprensa.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3