Cuiabá, 08 de Março de 2021

POLÍCIA
Segunda-feira, 22 de Fevereiro de 2021, 10h:56

BESTA-FERA

Homem que torturou, matou e jogou corpo da vítima de 19 anos em cova de cemitério é preso

Abraão Ribeiro
Única News

Foto: Facebook

O assassino de Mateus Reato, de apenas 19 anos e que foi barbaramente morto a base de tortura, tiro na cabeça e teve seu corpo jogado em uma cova de cemitério foi preso neste domingo (21) em Porto dos Gaúchos (651 km de Cuiabá).

O executor teria matado Mateus pelo simples fato de que o jovem era irmão de um policial militar. O corpo foi localizado no momento em que um sepultamento seria feito.

Um investigador de Polícia Civil informou que ele foi baleado na cabeça possivelmente por tiro de revólver calibre 38 e havia lesões indicando tortura. O suspeito foi pego, nas proximidades da delegacia, pouco tempo após o corpo ser encontrado.

Ainda de acordo com a polícia, o acusado já responde por um homicídio e preferiu ficar em silêncio durante o interrogatório. O delegado João Antônio Batista Ribeiro Torres, disse, à imprensa local que a motivação do crime pode ter sido uma retaliação por Mateus ser irmão de policial militar.

“A polícia trabalha com algumas linhas. Tudo indica ser uma eventual retaliação e teria matado esse jovem. Ainda temos outras linhas, contudo existe sigilo para o êxito das investigações”.

Batista afirmou ainda que “conseguimos encontrar uma testemunha que disse ter visto tanto suspeito como vítima em discussão na porta do cemitério, de madrugada. A vítima teria sido obrigada a entrar no cemitério, logo após, houve disparo de arma de fogo. Isso leva a crer que esse suspeito havia matado. Em buscas, encontramos o suspeito tentando fugir da cidade. Pedi a conversão da prisão preventiva dele”.

 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


MATÉRIA(S) RELACIONADA(S)




VÍDEO PUBLICIDADE