Cuiabá, 16 de Junho de 2024

POLÍCIA Sexta-feira, 22 de Dezembro de 2023, 11:50 - A | A

22 de Dezembro de 2023, 11h:50 - A | A

POLÍCIA / TRÊS FORAM PRESOS

Pistoleiro recebeu R$ 40 mil para matar advogado de Cuiabá; arma foi entregue em hotel

Aline Almeida
Única News



Reprodução

ASSASSINO ZAMPIERI.jpg

Suspeito do crime (no detalhe) foi preso na cidade de Santa Luzia (MG), região metropolitana de Belo Horizonte

Antônio Gomes da Silva, pistoleiro que executou o advogado Roberto Zampieri no dia 5 de dezembro no Bosque da Saúde em Cuiabá, recebeu R$ 40 mil pelo crime. A arma utilizada, uma pistola 9mm foi entregue a Antônio pelo intermediador em um hotel, onde se encontraram no mesmo dia do crime.

Nesta sexta-feira (22) a Polícia Civil de Mato Grosso, por meio da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), com apoio do Departamento Estadual de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa da Polícia Civil de Minas Gerais, cumpriu, o mandado de prisão temporária contra o intermediador. A prisão foi realizada na região metropolitana de Belo Horizonte, sendo o investigado apontado como o provável intermediário do crime, responsável por contratar o serviço e entregar a arma de fogo para o executor.

As investigações apontaram que, após contratar o executor pelo valor de R$ 40 mil, o intermediário despachou uma pistola calibre 9 mm, registrada em seu nome, para Cuiabá, no dia 05 de dezembro, mesma data do crime.

O encontro entre o intermediário e o executor para entrega da arma ocorreu em um hotel, onde os dois ficaram hospedados.

Investigações e prisões

Roberto Zampieri tinha 56 anos e foi assassinado na noite do dia 05 de dezembro, na frente de seu escritório localizado no bairro Bosque da Saúde, na Capital. A vítima estava dentro de uma picape Fiat Toro quando foi atingida pelo executor com diversos disparos de arma de fogo.

Antônio, apontado como executor foi preso na cidade de Santa Luzia, região metropolitana de Belo Horizonte (MG). Já a mandante do crime, a farmacêutica Maria Angélica Caixeta Gontijo foi presa na cidade de Patos de Minas, no sudeste mineiro. No momento da prisão, a investigada estava com uma pistola 9mm, do mesmo calibre que o utilizado no homicídio do advogado. Interrogada, a investigada negou as acusações, passou pela audiência de custódia e foi para uma unidade prisional de Patos de Minas.

As prisões do executor e da mandante foram decretadas pelo Núcleo de Inquéritos Policiais da Comarca de Cuiabá, com base nas investigações conduzidas pela equipe da DHPP de Cuiabá e contam com apoio fundamental da Polícia Civil do Estado de Minas Gerais.

Ainda não há definição sobre o encaminhamento dos investigados para Mato Grosso.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3