Cuiabá, 21 de Junho de 2024

POLÍTICA Terça-feira, 05 de Março de 2024, 07:18 - A | A

05 de Março de 2024, 07h:18 - A | A

POLÍTICA / "ZERO SURPRESAS"

“Emanuel é contumaz em desobedecer a Justiça”, afirma vereador sobre afastamento

Vereador de oposição afirma que Câmara de Cuiabá recebeu afastamento do prefeito de Cuiabá “sem surpresas” e disse que decisão é “fruto do descaso” com a cidade.

Ari Miranda
Única News



Oposição ao prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), o vereador Demilson Nogueira (PP) disse que a Câmara de Cuiabá recebeu "sem surpresas" a decisão judicial que afastou o gestor da Prefeitura de Cuiabá no início da tarde desta segunda-feira (4). Para o parlamentar, o afastamento de Emanuel pela Justiça Estadual é fruto da irresponsabilidade e do descaso de Emanuel com a administração da capital e com a população.

“Nós recebemos com tranquilidade, até porque nós conhecemos os resultados que a gestão [Emanuel Pinheiro] está apresentando aqui em Cuiabá. É uma gestão totalmente irresponsável, uma gestão que apresenta índices alarmantes de corrupção, prefeito afastado, secretário afastado, é uma cidade onde você não transita”, asseverou Demilson.

ENTENDA O CASO: TJ determina afastamento de Emanuel Pinheiro da Prefeitura por 6 meses

Além disso, Demilson reforçou que o afastamento de Emanuel, conforme os autos do processo no Tribunal de Justiça, se deve ao descumprimento de uma determinação da Corte Estadual pelo prefeito de Cuiabá na área da saúde, o que para o vereador, também não foi considerado “nada novo” ou “surpreendente”.

“O prefeito Emanuel Pinheiro é contumaz em não cumprir aquilo que é determinado. Tanto que você busca as contas dele, desde o ano de 2017, ele não cumpre determinação nenhuma do Tribunal de Contas. E até hoje, ele apareceu aí com uma ‘pérola’ no final de semana, dizendo que a Câmara [de Cuiabá] lhe cerceia o direito de se defender”, destacou.

Demilson ainda disparou contra o prefeito, afirmando que, neste caso, quem realmente acaba cerceado é o povo cuiabano.

“Ele [Emanuel] foi notificado via protocolo. O presidente Chico 2000 tentou intimá-lo durante a semana pessoalmente, ele fugiu, estava o tempo todo em Brasília. Amanhã [terça-feira, 5], (a gente) apresenta esse documento na sessão da Câmara Municipal (...). Quem cerceia é ele [Emanuel], quando não devolve uma cidade em condições de uso pela população, onde ele cerceia a população quando não oferece serviço de qualidade, saúde de qualidade, enfim. Isso que é cerceia o direito do povo”, pontuou.

 

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia