Cuiabá, 28 de Maio de 2024

POLÍTICA Quinta-feira, 17 de Agosto de 2017, 09:48 - A | A

17 de Agosto de 2017, 09h:48 - A | A

POLÍTICA / REFORMA POLÍTICA

Socialistas em MT podem ficar na sigla, obrigados por reforma

Por Lara Belizário/ Única News



(Foto: AL-MT)

deputado - eduardo botelho-AL-MT 2.jpg

 

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Eduardo Botelho (PSB), afirmou que os planos de mudança do grupo de líderes do PSB, para o DEM, não tem mais previsão. Durante coletiva na AL, na tarde desta última quarta-feira (16), ele reiterou que, dependendo da Reforma Política, a migração pode não acontecer.

 

Toda a briga dentro do PSB começou no dia 27 de abril. Na ocasião, o comando nacional destituiu Garcia e Sachetti de seus cargos e, em seguida, convidou o deputado federal, Valtenir Pereira, para retornar ao partido e assumir a liderança da sigla em Mato Grosso. Já no comando, Valtenir destituiu as Comissões Provisórias em todo Estado, no último de 03 de julho.

 

No último dia 02, o deputado já havia afirmado que até início de outubro deverá ser finalizado a ida do grupo de líderes. E, na tarde de quarta, ele esclareceu a espera, atribuindo a demora à conclusão da reforma.

 

"Estamos esperando a reforma política para ver a janela. A reforma está no congresso e provavelmente vai abrir uma janela em outubro para que nós possamos ir para outro partido. De repente, vamos ser obrigados a ficar no PSB", afirmou o presidente do legislativo.

 

(Foto: Correio Brasiliense)

Reforma Política

 

A Proposta de Emenda Constitucional (PEC), da Reforma Política, deve tramitar, à espera de votação nos plenários da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, até 7 de outubro para ter vigência nas próximas eleições. As mudanças devem afetar o sistema eleitoral e o modelo de financiamento de campanhas.

 

Quanto as bases e os filiados do PSB no interior do Estado, Botelho declarou que falta de informações repassadas acontece pois, até o momento, as decisões não são definitivas. No entanto, garantiu que vai se pronunciar assim que tudo estiver certo.

 

"Nós temos que esperar a Reforma Política para decidir e, depois de decidirmos, poderemos ir conversar com as bases no interior do estado. Mas elas não ficarão sem essa conversa", afirmou.

 

Quanto aos dissidentes que migrariam para o DEM, Botelho voltou a afirmar que o deputado Oscar Bezerra também seguirá o grupo para a sigla. Mesmo após o próprio Bezerra afirmar, no último dia 08, que deve ir para o Partido Progressista (PP).

 

Questionado se além de migrar os dissidentes teriam cargos na nova sigla, Botelho negou a necessidade. Reiterando que esta pauta não foi discutida durante as negociações.

 

"Nas conversas - negociações- não houve discussão de cargo. Até porque já estamos no governo e não precisamos reivindicar mais nada cargo. Isso é só um reequilíbrio", garantiu o presidente do legislativo.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia