Cuiabá, 17 de Fevereiro de 2020

POLÍTICA
Sexta-feira, 27 de Dezembro de 2019, 11h:35

SOB PROTESTO

Após polêmica, vereador retira projeto que cria feriado do Dia do Evangélico

Ana Adélia Jácomo
Única News

Reprodução

Poucos evangélicos compareceram para apoiar feriado

O polêmico projeto de lei que institui como feriado o Dia do Evangélico (31 de agosto), em Cuiabá, foi retirado da pauta de votação pelo autor da proposta, vereador Marcrean Santos (PRTB). Sem apresentar justificativas, ele usou a tribuna da Câmara para comunicar que o projeto não seria votado. O vereador cedeu após pressão do setor comercial.

Reprodução

dia do evangelico empresarios

Empresários usaram as galerias da Casa para protestar

As galerias da Casa estavam lotadas de empresários que protestavam contra a aprovação do projeto. Segundo o grupo, o prejuízo com a criação de um novo feriado poderia chegar a R$ 58 milhões por ano, só com pagamentos extras a funcionários.

Nesta semana, diversos segmentos demonstraram indignação com a possibilidade de criação do feriado do Dia do Evangélico. Até mesmo o maior representante da ala evangélica de Mato Grosso, o pastor presidente da Assembleia de Deus no Estado, Sebastião Rodrigues de Souza, se manifestou contrário à proposta.

A Associação Comercial e Empresarial de Cuiabá (ACC) repudiou a ideia e afirmou que, para 2020, já estão previstos sete feriados nacionais, sete pontos facultativos estaduais e quatro municipais, fora o aniversário de Cuiabá, em 8 de abril.

O projeto, mesmo retirado de pauta, poderá voltar à votação em 2020, caso seja reapresentado.

Acompanharam a sessão, em protesto, a Federação das Associações Comerciais e Empresariais de Mato Grosso (Facmat), CDL Cuiabá, Fecomércio, Fiemt, Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas (Sindmat), Sindicato do Comércio de Tecidos, Confecções e Armarinhos (Sincotec/MT), Sindicato do Comércio Atacadista e Distribuidor de Mato Grosso (SINCAD-MT) e Associação dos Lojistas do Centro Histórico de Cuiabá (ALCHIC).


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE