Cuiabá, 19 de Julho de 2024

VARIEDADES Sexta-feira, 22 de Fevereiro de 2019, 17:39 - A | A

22 de Fevereiro de 2019, 17h:39 - A | A

VARIEDADES / POLÊMICA

Musa da Vila Maria é impedida de desfilar por causa de tatuagem de Bolsonaro

Glamour



Erika Canela, 27 anos, era uma das musas confirmadas no desfile da escola de samba Unidos de Vila Maria, de São Paulo. No entanto, a modelo – que foi Miss Bumbum 2016 – foi impedida de desfilar por causa de uma tatuagem que fez em homenagem ao presidente Jair Bolsonaro (PSL). Na ilustração, localizada abaixo da axila esquerda da bela, o político aparece com óculos escuros, faixa presidencial e fazendo um sinal de "arminha" com as mãos.

Erika fez a tattoo em dezembro do ano passado e, ao mostrá-la aos seus 338 mil seguidores no Instagram, recebeu uma enxurrada de críticas. A repercussão foi tão negativa, que a Unidos de Vila Maria recomendou que a jovem não participasse mais do desfile – tudo para evitar mais polêmicas.

Erika confirmou a história na última quinta-feira, 21. "Não vou poder mais desfilar. Tudo aconteceu depois que dei uma entrevista falando que mostraria a tatuagem do Bolsonaro na avenida e recebi muitas críticas. Fui muito discriminada por isso, me xingaram. Com isso, soube que a Liga das Escolas de Samba teria entrado em contato com a Vila Maria, falando que eu não poderia desfilar. Aí a escola entrou em contato comigo e resolvemos que não vou mais desfilar. Não quero prejudicar a Vila Maria de forma alguma”, revelou.

A assessoria de imprensa da Unidos da Vila Maria declarou que a escola de samba "não compactua" com manifestações políticas durante o desfile de Carnaval, pois preza pela "alegria, irreverência e cidadania de seus componentes".

 

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia