Cuiabá, 25 de Junho de 2024

JUDICIÁRIO Quinta-feira, 29 de Fevereiro de 2024, 06:55 - A | A

29 de Fevereiro de 2024, 06h:55 - A | A

JUDICIÁRIO / “ESPÍRITO TRANSGRESSOR”

Juíza diz que Carlinhos Bezerra tem "total desprezo ao Judiciário" ao mandá-lo de volta à cadeia

Empresário foi preso novamente nesta terça-feira (28) após descumprimento de prisão domiciliar.

Ari Miranda
Única News



Em decisão publicada na manhã desta quarta-feira, a juíza Ana Graziela Vaz, da 1ª Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher de Cuiabá, revogou a prisão domiciliar do empresário Carlos Alberto Gomes Bezerra, preso em janeiro de 2023 pelo feminicídio de sua ex-namorada, Thays Machado (44), e o namorado dela, Willian César Moreno (40), em 18 de janeiro de 2023, no bairro Alvorada, em Cuiabá.

Segundo a juíza, Carlinhos Bezerra descumpriu a prisão domiciliar por sete vezes, se ausentando de sua residência por períodos de até 24 horas, sem autorização judicial. Em uma delas, ele foi visto fazendo compras tranquilamente em um supermercado da capital, na companhia de seguranças armados, fato que segundo a magistrada, "demonstrou total desprezo do réu pela Justiça Estadual".

“Observa-se, então, pelo conjunto probatório acostado aos autos, que o comportamento do requerido, desrespeitando a cautelar de recolhimento domiciliar, externa seu completo desprezo pelas decisões deste Juízo, demonstrando que as medidas cautelares deferidas, são inócuas para conter seu espírito transgressor”, disse a juíza.

Externa seu completo desprezo pelas decisões deste Juízo, demonstrando que as medidas cautelares deferidas, são inócuas para conter seu espírito transgressor

“Não bastasse isso, há que se considerar que o delito praticado abalou severamente a ordem pública, não só pela crueldade como também pela sensação de impunidade transmitida para a sociedade eis que cometedor de crime tão grave permanece em seu lar e, inclusive, descumprindo cautelares, circulando em locais públicos, sendo visto por populares e disseminando total descrédito às ordens emanadas pelo judiciário e fomentando a sensação de impunidade”, asseverou.

Pelas regras da medida cautelar, além do uso de tornozeleira eletrônica, Carlinhos Bezerra deveria ficar 24 horas dentro de casa. Após transgredir a cautelar por diversas vezes, o Ministério Público de Mato Grosso (MPMT) pediu o retorno do réu à prisão na última segunda-feira (26).

Ao autorizar o retorno do empresário à cadeia, Ana Graziela Vaz destacou que, devido à repercussão do crime, a soltura de Carlinhos transmitiu à população uma grande sensação de impunidade.

“(...) há que se considerar que o delito praticado abalou severamente a ordem pública, não só pela crueldade como também pela sensação de impunidade transmitida para a sociedade eis que cometedor de crime tão grave permanece em seu lar e, inclusive, descumprindo cautelares, circulando em locais públicos, sendo visto por populares disseminando total descrédito as ordens emanadas pelo judiciário e fomentando a sensação de impunidade”, destacou.

“Assim, fica demonstrada que a liberdade do denunciado continua a representar grande risco para a garantia da ordem pública e a aplicação da lei penal, sendo certo que, neste caso, a manutenção de medidas diversas da prisão não se mostram suficientes para a garantia pretendida diante do renitente descumprimento pelo requerido das condições a ele impostas pelo regime de prisão domiciliar”, completou. 

(Foto: Reprodução/Internet)

THAYS MACHADO E WILLIAM MORENO.jpg

O casal William César Moreno e Thays Machado, mortos pelo empresário Carlinhos Bezerra em janeiro de 2023.

OS CRIMES

Thays e Willian foram mortos à tiros por Carlinhos, que é filho do ex-deputado federal Carlos Bezerra (MDB), na tarde do dia 18 de janeiro de 2023, em frente ao Edifício Solar Monet, no bairro Alvorada, em Cuiabá.

Ele foi preso em flagrante pela Polícia Civil horas depois do crime, em uma fazenda da família, na cidade de Campo Verde (121 Km de Cuiabá). Ele confessou o crime e, com ele, foi encontrada também a pistola utilizada no crime.

 

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia