Cuiabá, 21 de Junho de 2024

POLÍCIA Segunda-feira, 22 de Abril de 2024, 15:38 - A | A

22 de Abril de 2024, 15h:38 - A | A

POLÍCIA / ASSASSINARAM IDOSOS

Batalha judicial por causa de aluguel teria motivado duplo homicídio cometido por mãe e filho em MT

Fred Moraes
Única News



Inês Gemilaki, Márcio Ferreira e Bruno Gemilaki, família que matou dois idosos e feriu um padre neste domingo (21), em Peixoto de Azevedo (692 km de Cuiabá), estaria em dívidas com um garimpeiro, com apelido de “Polaco”, apontado como locador da residência onde os suspeitos moravam, com quem travavam uma batalha judicial.

A informação foi revelada pela delegada da Polícia Civil, Anna Paula Marien, responsável pela investigação do caso.

Conforme a delegada, o locador, que era o verdadeiro alvo da ação criminosa, possuía desavença com os suspeitos por conta de uma dívida deixada durante o período em que alugava uma casa, cuja dívida soma o valor de R$ 60 mil, para os criminosos. A família Gemiliaki chegou a entrar na justiça contra Polaco pelo valor cobrado no aluguel, mas o processo tramitava sem ter sido julgado até agora.

Por isso, os embates entre os lados tornaram frequentes, até chegar o dia da execução planejada pela família.

“A nossa linha de investigação caminha no sentido de desacordo comercial, em relação ao imóvel que a família locava do proprietário. Ao sair da residência, deixou dívidas, que gerou uma ação judicial. A partir daí, houve vários outros desentendimentos entre eles, que culminou no crime bárbaro que aconteceu neste domingo em Peixoto de Azevedo”, contou a delegada.

Inês e seu filho, Bruno Gemilaki, invadiram a residência onde Polaco morava, no centro da cidade, para matá-lo. Porém, no imóvel ocorria uma confraternização e pelo menos outras 8 pessoas estavam no local.

Durante a ação criminosa, Inês disparou contra Polaco, mas a arma falhou. No entanto, Pilson Pereira da Silva, de 65 anos, e Rui Luiz Bogo, de 71 anos, foram atingidos pelos disparos e morreram na hora. Polaco se feriu com estilhaços de vidros, que foram estourados durante a invasão.

Um quarto homem, um padre da cidade, foi atingido de raspão e passou por cirurgia. Seu estado de saúde é estável.

Após executar os dois idosos, Inês Gemilaki e Bruno Gemilaki fugiram do local com a ajuda de Márcio Gonçalves, que é casado com a suspeita.

Antes de deixar a região, os criminosos passaram em uma distribuidora onde compraram cervejas, refrigerantes e água. Especula-se que a família tenha fugido com rumo ao estado do Pará.

As buscas pelos assassinos continuam. VEJA O VÍDEO DA AÇÃO:

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3