Cuiabá, 28 de Novembro de 2020

CIDADES
Segunda-feira, 26 de Outubro de 2020, 16h:42

GAMBIARRA POPULAR

Seis estabelecimentos na Praça Popular são flagrados com “gato” na rede elétrica

Da Redação
Única News

Reprodução

Por conta de reclamações de moradores na última sexta-feira (23), em relação a problemas na rede elétrica do bairro Popular, centro de Cuiabá, a Energisa esteve na região e flagrou seis estabelecimentos comerciais com ligações clandestinas de energia na Praça Popular, local que concentra muitos bares e restaurantes em torno dela e que serve de reduto da boêmia elitizada na noite cuiabana.

Os proprietários das seis empresas, que não tiveram os nomes nem mesmo o ramo de atividade divulgados, poderão responder inquérito por furto.

Segundo informações da Energisa, foram reunidas equipes de duas frentes diferentes para um mutirão de melhorias na rede. O primeiro, com quatro grupos, fez vistorias para identificar possíveis ligações irregulares, prática ilegal conhecida como “gato”.

O segundo, com cinco equipes, fez vistorias na própria rede para observar pontos que poderiam ser melhorados, com manutenção imediata para solução do problema.

As equipes identificaram as ligações irregulares de equipamentos que não foram notificados para a Energisa, as famosas “gambiarras”.

Após o flagra, as ligações clandestinas foram desfeitas e estabelecimentos notificados com o Termo de Ocorrência de Inspeção (TOI), que irá compor o processo de recuperação dos valores devidos à empresa.

Ainda segundo a Energisa, a rede foi redimensionada, com a instalação de um novo transformador de 112,5 KVA, que tem mais capacidade para atender a demanda da região.

Em Mato Grosso, os furtos de energia totalizam cerca de R$ 351 milhões por ano. Somente em ICMS, o Governo deixa de arrecadar R$ 60 milhões por ano em razão da não cobrança destes valores.

GATO E/OU GAMBIARRA

O popular “gato” na energia elétrica consiste na ligação clandestina à rede ou adulteração do sistema de medição de energia. Infelizmente, estas fraudes são cometidas com elevada frequência, o que faz comum nos meios de comunicação, notícias que se referem a prisões, prejuízos financeiros, e acidentes envolvendo o delito.

A prática de furto de energia resulta em multas regulamentadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e aplicadas pela concessionária distribuidora. Além disto, também configura crime, conforme artigo 155 do código penal, que prevê reclusão de um a quatro anos para quem pratica este tipo de ato.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


MATÉRIA(S) RELACIONADA(S)




VÍDEO PUBLICIDADE