Cuiabá, 25 de Julho de 2024

POLÍTICA Terça-feira, 18 de Dezembro de 2018, 16:36 - A | A

18 de Dezembro de 2018, 16h:36 - A | A

POLÍTICA / COM AVAL DE MENDES

Jayme diz que DEM escolheu ex-secretário de VG para comandar Sedec

Luana Valentim



(Foto: Reprodução/Web)

jayme.jpg

 

O senador eleito, Jayme Campo (DEM), anunciou na noite desta segunda-feira (17), durante a cerimônia de diplomação dos eleitos, que o ex-secretário de governo de Várzea Grande, o empresário César Miranda, será o próximo secretário Estadual de Desenvolvimento Econômico na gestão de Mauro Mendes (DEM).

 

Segundo Jayme, o empresário foi escolhido de forma consensual pelos membros do DEM e com o aval de Mendes.

 

“O DEM indicou de forma consensual e o governador Mauro Mendes escolheu César Miranda para ser secretário de Desenvolvimento Rural. Feito isso, quero deixar muito claro que foi indicação do DEM. É como ele [Mauro] faz naturalmente com outros partidos da composição e certamente dará oportunidade para todas as siglas que participarão de forma efetiva de seu governo”, afirmou.

 

O empresário foi secretário de governo e interino de Saúde durante a gestão da prefeita Lucimar Campos (DEM), esposa de Jayme. Ele é considerado o braço direito do senador diplomado e estava inicialmente cotado para assumir a Secretaria de Estado de Meio Ambiente.

 

Já Mendes não comentou sobre o assunto, mas afirmou que irá divulgar nesta terça-feira (18), outros cinco nomes que irão compor o seu staff.

 

Jayme disse que é o 6º mandato em que está sendo diplomado pela Justiça de Mato Grosso, sendo este um momento ímpar de sua vida por ter a oportunidade de forma democrática e livre.

 

“A expectativa é muito grande, ainda mais vindo de um quadro lamentável na política nacional e nós temos que construir um novo quadro para que possamos fazer da política um instrumento da defesa da sociedade. Por isso tenho a convicção que nós poderemos, lá em Brasília, lutar de forma exitosa e independente pelos interesses de toda a coletividade brasileira”, afirmou.

 

O democrata frisou que o seu diploma de senador é para trabalhar pelos direitos da população, por investimentos que são de obrigação do poder público e para garantir o direito à saúde, educação, segurança, além de gerar oportunidades. Contudo, ele ressaltou que se sente preparado para assumir mais uma vez a Senatoria e representar os mato-grossenses no Congresso Nacional.

 

Quanto a decisão do governador Pedro Taques (PSDB) de não enviar a proposta apresentada por Mendes sobre a reforma administrativa para a Assembleia Legislativa, além da unificação do Fundo Estadual de Transporte e Habitação, Jayme lamentou a posição do tucano e avaliou que este é o momento do governador ser estatista, agindo e atuando com muita altivez.

 

“Eu imagino a grande decepção desse cenário que está aí, onde Mato Grosso está com muita dificuldade com um passivo de R$ 2 bilhões escritos na dívida ativa e que chega no dia 30 de dezembro se inscrevendo em mais R$ 1, 4 bilhões e com o mesmo orçamento de 2019 desenhado, o que dá a entender que poderá também ter um déficit. Eu acho que o governador deveria de forma mais ativa e sobretudo com mais altivez receber a proposta do governador Mauro Mendes, que assume um imenso compromisso com a população de não só reeditar o Fethab 2, mas acima de tudo uma nova reforma administrativa”, pontuou.

 

Completou que Taques, no fim do mandato, deixa muito a desejar até por conhecer os reais problemas e necessidades do Estado. E que não é nada mais justo fazer um gesto de compreensão e respeito, encaminhando os projetos de Mendes para que o Legislativo possa votar até o dia 31 de dezembro, fazendo prevalecer a partir do dia 1º de janeiro, caso contrário, só ficará para aprovar em 2019.

 

 

 

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia