Cuiabá, 25 de Maio de 2024

POLÍTICA Quinta-feira, 02 de Novembro de 2017, 08:40 - A | A

02 de Novembro de 2017, 08h:40 - A | A

POLÍTICA / EM NOVEMBRO

Secretário não descarta escalonamento de salário de servidores

Por Daffiny Delgado e Lara Belizário/ Única News



(Foto: Gcom-MT)

secretário Max Russi 2.jpg

 

Mesmo prometendo um repasse emergencial aos poderes para quitar as folhas de pagamento, o secretário-chefe da Casa Civil, Max Russi, durante coletiva na última terça-feira (31), não descartou a possibilidade de atrasos, nem escalonamento, dos salários dos últimos meses do ano.

 

Na última quinta-feira (26), o governador Pedro Taques (PSDB) se reuniu com os poderes, no Palácio Paiaguás, em Cuiabá, e garantiu o repasse emergencial. Após a promessa, o governador foi até Brasília onde se reuniu com o governo federal para cobrar os repasses atrasados ao Estado.

 

De acordo com Russi, a quitação de alguns desses atrasos garante o pagamento dos salários dos servidores. Da mesma forma, o pagamento encontra-se atrelado a entrada desses recursos até o próximo dia 10.

 

Em vista dessa possibilidade, na última segunda-feira (30), começou a circular a imagem de uma tabela para escalonar o salário dos servidores no próximo pagamento. Conforme, o secretário-chefe, essa imagem não é verdadeira.

 

“Mas há possibilidade de escalonamento do salário. Se não tivermos entrada de recursos novos até o dia 10 de novembro teremos dificuldade de honrar compromissos as folhas de pagamento”, declarou.

 

Diante desta alternativa, Russi esclareceu que, sem dinheiro, aqueles servidores que ganham a faixa salarial entre R$ 4 mil a R$ 5 mil serão os primeiros a receberem o salário. Sendo que o número de servidores com este requisito representa aproximadamente 80% dos servidores do Estado.

 

Ainda que a realidade seja um tanto desanimadora e que os cofres continuem vazios, o secretário-chefe mostrou-se otimista quanto as reuniões do governador em Brasília. E, também, aposta no sucesso das negociações resultando em novos recursos até o dia 10 novembro.

 

Quanto possíveis atrasos no futuro, o secretário esclareceu que tudo deve mudar em 2018 e 2019, já que os recursos do FEX, que até este ano eram repassados em dezembro, começam a cair na conta do Estado todos os meses, a partir de Janeiro. Essa mudança, diminuiria a dificuldade nos pagamentos, já que a folha salarial dos servidores cresceu mais do que a receita bruta de Mato Grosso, nos últimos anos.

 

“Nós precisamos melhorar a receita este ano, foram mais de 30 mil empregos novos no Estado. Isso mostra que a economia está começando a reagir, o indicador é positivo. No entanto, só em 2017 foram cerca de R$ 400 milhões a menos de recursos do Governo Federal. Agora, esses repasses estão fazendo falta no nosso caixa. Por isso, não conseguimos cumprir alguns de nossos deveres”, declarou Russi.

 

Além do adiantamento do FEX que o governador foi solicitar em Brasília, o secretário-chefe ainda aposta que o recurso da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), travado desde o governo de Dante de Oliveira, pode chegar até o dia 10 novembro no Estado.

 

“Nós temos o Blairo Maggi (PP) como ministro da Agricultura, nós temos um governador que tem se dedicado muito para cobrar esse recurso. Nós temos um Refiz que faz com que uma dívida de R$ 650 milhões seja paga por pouco mais de R$ 100 milhões. E talvez, por isso, o Conab faça esse pagamento. É uma conta com quase 20 anos de nessa briga, mas nós temos muita fé e esperança, e acreditamos que pelas tentativas que estamos fazendo vamos receber esse dinheiro, este ano”, apostou.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia