Cuiabá, 25 de Julho de 2024

POLÍTICA Sábado, 23 de Dezembro de 2023, 10:45 - A | A

23 de Dezembro de 2023, 10h:45 - A | A

POLÍTICA / MANDATO CASSADO

“Fui julgada e cassada por minha vida pessoal”, afirma Fabiana Advogada

Vereadora de Chapada dos Guimarães disse que cassação teve como base questões pessoais e acredita em revés na Justiça.

Ari Miranda
Única News



Gilberto Leite/Estadão MT

FABIANA ADVOGADA.jpg

A vereadora Fabiana Nascimento, a "Fabiana Advogada".

Em conversa com a imprensa no final desta semana, a vereadora Fabiana Nascimento (PRD) disse ter sido cassada injustamente pela Câmara de Vereadores de Chapada dos Guimarães (65 Km de Cuiabá) e afirmou que vai recorrer do resultado na Justiça.

“Fabiana Advogada”, como é conhecida no município, respondia a um Processo Administrativo por supostamente infringir a Lei Orgânica Municipal, após ser acusada por supostamente advogar contra o Município, e teve seu mandado cassaso na última quinta-feira (21) por 9 votos a 2.

“Estou aguardando eles [da Mesa Diretora] publicarem, para eu ter acesso ao decreto e entrar com a ação judicial. Me considero uma vereadora cassada injustamente, por não pactuar com os erros da gestão e por fiscalizar o trabalho deles”, afirmou.

A parlamentar cassada ainda criticou os colegas de parlamento por justificarem sua cassação embasados em questões pessoais.

Segundo Fabiana, todos os 9 vereadores que votaram para cassar seu mandato deixaram de lado sua atuação como parlamentar e até mesmo o processo que ela respondia, sobre ter advogado contra o município.

“Eu fiquei bem triste, aborrecida com o fundamento. Esperava que tivesse fundamento em cima da matéria que estava sendo julgada, não na minha vida pessoal. Se eu sou solteira, se sou mãe solo, eles não tem nada a ver com isso. A gente está lá para trabalhar e não para agradar colegas”, disse.

PERSEGUIÇÃO POLÍTICA

Durante a semana, antes da votação que cassou seu mandato, Fabiana Advogada havia dito à imprensa que estava sendo vítima de perseguição política pelos colegas de parlamento, assim como o secretário municipal de Governo e ex-prefeito de Chapada dos Guimarães, Gilberto Mello, que a denunciou por supostamente advogar contra o município.

Agora, com o resultado final da cassação, Fabiana afirmou que vai usar todas as medidas cabíveis para reaver o mandato.

“É preciso aguardar a decisão. Mas eu acredito no judiciário, porque ele é um órgão sério e ali tem documentos de sobra que demonstram que eu não advoguei contra o município”, afirmou.

“Eu não estou lá [na Câmara de Chapada] para ser julgada se sou legal, se sou simpática, se sou grossa. Estou lá para exercer meu papel de vereadora”, concluiu.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia