Cuiabá, 20 de Julho de 2024

JUDICIÁRIO Terça-feira, 05 de Abril de 2022, 16:50 - A | A

05 de Abril de 2022, 16h:50 - A | A

JUDICIÁRIO / PROVAS INSUFICIENTES

Juiz arquiva denúncia contra Wilson, Avallone e Maluf por suposto caixa 2 em campanha

Thays Amorim
Única News



O juiz Francisco Alexandre Ferreira Mendes Neto, da 51ª Zona Eleitoral de Cuiabá, arquivou uma denúncia contra os deputados estaduais Wilson Santos (PSB), Carlos Avallone (PSDB) e o atual conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE) Guilherme Maluf por supostos crimes de caixa 2 durante a campanha de 2014. Segundo o magistrado, as diligências realizadas foram “insuficientes”.

A decisão é da última sexta-feira (1º). De acordo com a Polícia Judiciária, não foi possível comprovar o recebimento de valores indevidos durante a campanha de 2014 aos políticos, que estavam disputando uma vaga à Assembleia Legislativa (ALMT). As informações sobre os crimes eleitorais foram divulgadas na delação premiada do ex-secretário de Estado de Educação, Permínio Pinto.

O ex-secretário afirmou que teria recebido três depósitos, que totalizam R$ 175 mil, do empresário Fabiano Bearare da Costa, proprietário da Editora Terra do Saber. A quantia seria um pedido do então deputado federal Nilson Leitão (PSDB), e os valores teriam sido encaminhados às campanhas de Wilson, Avallone e Maluf.

O Ministério Público Eleitoral se manifestou pelo arquivamento. “Evidencia-se, portanto, a ausência de qualquer elemento que possa dar justa causa para persecução penal eleitoral, razão pela qual o arquivamento deste inquérito policial se impõe”, destacou, em parecer.

Considerando a falta de provas para comprovar os supostos crimes, o magistrado determinou o arquivamento. “Pelo exposto, ausentes os elementos indiciários da tipicidade da conduta, acolho a pretensão formulada e HOMOLOGO a promoção de arquivamento dos autos do inquérito, sem prejuízo do disposto no art. 18 do Código de Processo Penal”, finalizou o magistrado.

Em nota, Avallone comemorou a decisão e apontou que delatores como Permínio acusam sem fundamentos.

"Nunca tive dúvidas que a justiça eleitoral me absolveria, até porque é público e notório que os delatores fazem acusações infundadas para assim conseguir acordos favoráveis. Agora justiça foi feita, e continuo trabalhando em prol da população na Assembleia Legislativa. Estou elegível, nada existe que possa afetar minha candidatura à reeleição. Mesmo se não conseguir reverter no Tribunal Superior Eleitoral a decisão em primeira instância sobre suposto Caixa 2 nas últimas eleições, isso não me impede de concorrer”, enfatizou.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia