Cuiabá, 17 de Junho de 2024

POLÍCIA Sábado, 04 de Dezembro de 2021, 11:03 - A | A

04 de Dezembro de 2021, 11h:03 - A | A

POLÍCIA / VEJA DETALHES DO DEPOIMENTO

Adolescente vítima de assédio em Cuiabá afirma que teve medo de denunciar professor

Thays Amorim
Única News



A adolescente D.S.F.C, de 12 anos, uma das vítimas de assédio do professor Randal Lopes Barreira, de 46 anos, afirmou em depoimento à Polícia Judiciária Civil (PJC) que ficou com medo de denunciar o suspeito por temer a reação do pai e da mãe, que está grávida de nove meses. O professor foi preso na última quarta-feira (1º), na Escola Estadual Tancredo Neves, localizada no Jardim Leblon, em Cuiabá.

No depoimento, obtido com exclusividade pelo Única News, a adolescente afirmou que o professor passou a mão no seu ombro e nos seus seios. Anteriormente ao caso, Randal a elogiava e demonstrava comportamento inadequado.

“O professor veio e ficou atrás de mim, e perguntou no meu ouvido “você está fazendo tarefa?”, [eu respondi] sim, estou. Ele veio e passou a mão no meu ombro, e depois disso passou a mão no meu seio e subiu com a mão no ombro, saiu e voltou para a mesa dele”, afirmou a vítima.

Segundo D.S, essa não foi a primeira vez. “Dias antes ele ficava fazendo vários elogios, você é linda, seu nome é bonito, seu cabelo é bonito, você é linda do jeito que você é”. A estudante conheceu o professor somente neste ano letivo, e os elogios começaram após uma semana de aula. O comportamento de Randal, segundo o depoimento, acontecia com todas as meninas.

Ela afirmou que essa foi a primeira vez que contou sobre o caso aos pais, já que achava que os elogios e toques eram “brincadeira de professor”. Um colega de classe afirmou que o professor fazia isso com outras meninas, segundo sua namorada, e que D.S tinha que relatar a situação ao diretor da escola. Após contar à direção, ela ligou para os pais, que foram até à escola e depois à delegacia.

Foto: Arquivo Pessoal

professor preso Randal lopes

Randal Lopes Barreira foi preso em flagrante na última quarta-feira (1º); o Judiciário converteu a prisão em preventiva na última quinta-feira (02)

A adolescente disse à assistente social da Polícia Judiciária Civil (PJC) que sentiu medo de contar o acontecia, já que temia a reação do pai, sendo que a mãe está grávida e não queria deixá-la nervosa. Ela disse que sente medo da situação e que retornou às aulas presenciais há dois meses.

Outras alunas sofreram casos parecidos

D.S não foi a única vítima do professor. L.N.C.R.S, de 14 anos, informou que no meio da aula, em frente à turma inteira, o professor chegou no seu “cangote” perguntando se ela estava copiando a matéria, pegou a sua mão e colocou em sua barriga. Ela imediatamente tirou a mão da barriga do homem e foi falar com a colega D.S, que relatou um caso parecido.

LEIA MAIS: Professor é afastado após assediar alunas; ofereceu dinheiro e tocou nos seios da vítima

A menor de idade afirmou ainda que há uma semana atrás, durante o intervalo, Randal a chamou perto do quadro e ofereceu R$ 50 para ela tirar a blusa. Muito constrangida com a situação, a aluna saiu e foi sentar em seu lugar.

Ela enfatizou que o comportamento é comum. Na última terça-feira (30), o suspeito teria falado “coisas indecentes” a uma outra aluna, que olhou com desespero e constrangimento. Vendo a situação da colega, L.N afirmou que tentou ajudar e foi até o professor, pedindo para ele tirar uma dúvida. Além dela e de D.S, outras cinco colegas teriam sido vítimas dos assédios e da importunação sexual.

A outra vítima, identificada como L.C.F.A, de 15 anos, Randal também fez elogios inapropriados: “você é uma morena bonita, seu pé é bonito”, passando a mão em seu seio. Ela também relatou que já soube de outros assédios.

Prisão preventiva

Preso em flagrante, na última quinta-feira (02), o juiz Jamilson Haddad Campos decretou a prisão preventiva e negou liberdade ao acusado. O magistrado destacou que não vislumbrou a possibilidade da substituição da prisão por medidas cautelares.

LEIA MAIS: Professor evangélico tem prisão preventiva decretada após assediar alunas em Cuiabá

“Ademais, esclareço que as condições pessoais aparentemente favoráveis do autuado, em princípio, não garantem por si só a revogação da sua prisão cautelar, especialmente se existem no contexto fático apresentado elementos suficientes a demonstrar a necessidade da segregação cautelar, como no caso concreto”, apontou, em trecho da decisão.

Randal é portador de deficiência física na perna esquerda e no momento da prisão em flagrante, estava com um Cartão de Identificação da Associação Mato-grossense de Deficientes. Ele também informou ser evangélico e que frequenta a Assembleia de Deus.

A Polícia Civil circunstanciou um termo que cita um antecedente criminal do suspeito, por ameaça ocorrida no dia 03 de fevereiro de 2011. No entanto, oficialmente, ele não possuiu passagem criminal.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3