Cuiabá, 25 de Junho de 2024

JUDICIÁRIO Sexta-feira, 15 de Março de 2024, 09:45 - A | A

15 de Março de 2024, 09h:45 - A | A

JUDICIÁRIO / PEDIDO NEGADO

Justiça mantém Carlinhos Bezerra obrigado a pagar pensão a ex-sogra

Criminoso disse que segue sem renda por ter voltado à prisão, mas não comprovou estar de fato sem dinheiro para o pagamento do benefício

Ari Miranda
Única News



O desembargador Sebastião de Moraes Filho, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), negou nesta quinta-feira (14) um novo recurso impetrado pela defesa do empresário Carlos Alberto Gomes Bezerra (57) e o manteve obrigado a pagar uma pensão à mãe de sua ex-namorada, Thays Machado (44), executada por ele a tiros em janeiro do ano passado, em frente ao Edifício Solar Monet, no bairro Alvorada, em Cuiabá.

Carlinhos, que é filho do empresário Carlos Bezerra (MDB) também matou o namorado dela, William César Moreno (30).

O magistrado já havia negado recurso semelhante em janeiro deste ano. No novo recurso, a defesa de Carlinhos citou que o empresário voltou a ser preso e segue sem renda, o que lhe impede de arcar com o pagamento mensal de R$ 4,2 mil a mãe de sua ex.

O empresário retornou para o regime fechado, na Penitenciária Central do Estado (PCE) no final do mês passado, após descumprir a prisão domiciliar por diversas vezes, a maioria delas no mês passado.

RELEMBRE:

- Após "passeios" em supermercado, Justiça manda Carlinhos Bezerra de volta para a cadeia

- Carlinhos Bezerra deixou prisão domiciliar 7 vezes em apenas um mês; veja as datas

- Juíza diz que Carlinhos Bezerra tem "total desprezo ao Judiciário" ao mandá-lo de volta à cadeia

Na decisão, o desembargador classificou o novo pedido de Carlinhos Bezerra como uma “mera insurgência” do empresário com a decisão anterior e manteve a obrigação do pagamento. Disse ainda que o réu sequer comprovou não ter, de fato, condições de arcar com a pensão.

Logo, mesmo nesta fase de cognição sumária, verifica-se a verossimilhança das alegações, apta a justificar o deferimento do pedido de alimentos provisionais”, escreveu Sebastião Filho.

“Anota-se, por fim, que a parte agravante sequer demonstra que não teria condições de arcar com o valor arbitrado a título de pensão, ou a impossibilidade de fazê-lo, ainda que momentaneamente, motivo pelo qual deve ser mantida a decisão”, pontuou o desembargador.

COMPORTAMENTO POSSESSIVO

Carlinhos Bezerra foi preso em flagrante no dia 18 de janeiro de 2023, horas depois do crime. Ele estava escondido na fazenda da família, em Campo Verde (130 Km de Cuiabá), horas após matar a ex-namorada, Thays Machado (44), servidora do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, e o atual namorado dela, Willian Cesar Moreno (30).

O casal foi executado com aproximadamente 13 tiros de pistola calibre .380 por Carlinhos, que não aceitava o fim do relacionamento.

As investigações apontaram ainda que o autor do crime possuía um comportamento obsessivo, uma vez que, quatro meses antes do assassinato, em setembro de 2022, Thays Machado quase foi atropelada por Carlinhos, na saída de um Pub da capital.

Além disso, os colegas de trabalho da vtima também relataram situações anteriores envolvendo Carlos Alberto, que inclusive monitorava as redes sociais da ex.

Após o crime, a Polícia Civil descobriu ainda um sofisticado esquema de monitoramento mantido pelo criminoso, que rastreava todos os locais e horários da servidora, através de um aplicativo espião, instalado por ele no celular de Thays à época em que eles ainda namoravam.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia